A pura verdade sobre Finanças Pessoais

porFernando Pinheiro

A pura verdade sobre Finanças Pessoais6 min read

Reflexões inconvenientes sobre Finanças Pessoais que toda pessoa que tem algum tipo de renda deveria ler/ouvir desde a pré-adolescência. Extraído do livro traduzido livremente para o português, I Will teach you to be rich (Eu ensinarei você a ser rico), de Ramith Seth, o  texto faz comparativo entre comida e dinheiro, mostrando que, no fundo entender de finanças pode não ser fácil, mas é simples. 

Porque dinheiro e comida são tão similares

COMIDA DINHEIRO
Não rastreia a ingestão de calorias Não rastreia os gastos
Come mais do que sabemos gasta mais do que realiza ou admite
Debate trivialidade sobre calorias, dietas e exercícios debate trivialidade sobre taxas de juros, ações do momento etc.
Dá valor a dicas em vez de pesquisas Ouve amigos, debates de TV, parentes em vez de livros de finanças pessoais

O autor continua afirmações similares dizendo que não há necessidade de sermos especialistas em finanças para conseguir saúde financeira, não há necessidade de ser engenheiro mecânico para dirigir um carro, funciona no mesmo sentido para finanças. Debates intermináveis sobre o assunto funcionam para o lado psicológico que atua como atenuador da consciência no sentido de pensar que – está fazendo alguma coisa – financeiramente falando. 

No campo das finanças, o mais importante é tomar uma atitude agora, seja abrindo uma conta em uma corretora ou fazendo seu primeiro e aporte, e depois organizar tais aportes de maneira sistemática.

O autor faz referência a algumas culpas as quais as pessoas depositam no caminho da liberdade financeira:

  • our education system doesn’t teach this (nosso sistema de educação não nos ensina isto)  – afirma que, embora esta afirmação seja frequente, as escolas e faculdades em geral têm sim, programas de educação financeira, as pessoas é que procuram pouco o tema!
  • Credit cards and banks are out to profit of us (cartão de crédito e banco lucram conosco)  – certamente os bancos e cartões de crédito irão lucrar conosco, esta é a função deles, no entanto, é também nosso dever conhecer este jogo para não nos tornarmos vítimas e sairmos vitoriosos dos lucros que se tornam abusivos para quem não entende sua mecânica.
  • I’m afraid of losing money (eu tenho medo de perder dinheiro)  – certamente o medo é uma das piores armadilhas em termos de não melhorarmos financeiramente, e especial quando se está começando no mundo dos investimentos, no entanto, devemos lembrar que há produtos financeiros para os mais diversos perfis, tanto para conservadores quanto agressivos, portanto, o medo de perder não pode servir de desculpa, enquanto alguns estão com medo por causa de crises por exemplo, outros estão ganhando barganhas…
  • If I don’t know where to get an $100 extra per month? ( e se eu não souber como obter 100 reais por mês?) não se trata de obter 100 reais a mais por mês para que se possa, finalmente, realizar os primeiros aportes e começar a investir, pode ter certeza que, para começar, a pessoa não irá gastar 1 real a mais por mês para se tornar investidor, com pouco de gerenciamento das finanças o processo se torna indolor, tranquilo. Lembre-se que 1 real economizado por mês se torna 30 reais ao final de 1 mês

O autor traz alguns números da situação delicada financeira dos americanos, fazendo um comparativo entre obesidade e dívidas: ⅓ dos americanos estão obesos, isto é 30% da população e a média das dívidas das famílias americanas gira em torno de 7000 dólares.

Por causa da inflação, você perde seu dinheiro a cada dia quando deixa depositado em sua conta bancária. O autor nos lembra da crise que abalou o mundo em 2008, onde boa parte das pessoas saiu correndo da bolsa de valores, tomando uma das piores decisões financeiras, que é de ter comprado as ações na alta e vendido na baixa, e só o fez as pessoas que estavam mal orientadas em relação à diversificação de portfólio, pois a renda fixa não foi afetada significativamente com a crise financeira mundial.

Então ele se pergunta, será que todas aquelas pessoas se quer leram 1 livro de educação financeira?

Ele afirma categoricamente que as pessoas fazem as perguntas erradas, e vez de afirmarem quanto eu devo investir para ser livre financeiramente? as pessoas deveriam se perguntar:  o que eu devo fazer com a minha vida e como eu posso usar o dinheiro para fazer isso? nota-se que o autor têm o verdadeiro sentido das finanças em uma abordagem utilitarista do dinheiro e não como um fim em si mesmo, como a maioria pensa, se trata, portanto, de uma jornada, não um ponto final.

Deixe a história da sua vida contar como é enriquecer-se por conta própria.

85% da solução é começar – 0 é melhor que nada, imagine 85% pois bem, o autor comenta que a parte mais difícil e demorada é começar, pois bem, delimitar qual conta abrir para investir, definir orçamento doméstico entre outros itens se trata de começar, comece agora e viva sua vida como sempre quis

Tudo bem se cometer erros – melhor cometer erros agora quando se começa com pouco e aprender em vez de esperar têm muito para começar e, se errar, irá perder mais do que agora que têm pouco.

Ações ordinárias geram resultados ordinários – a maioria das pessoas, quando se fala em se tornar rico ou procurar a riqueza costumar falar de mega-sena ou de milhões de reais na conta, agora eu te pergunto, quantos deles você conhece que, pensando desta maneira, realmente se tornou milionário? isto é tomar ações ordinárias (que a maioria faz) quase ninguém acredito, portanto, é mais fácil alcançar grandes dígitos tomando ações pequenas. Para se tornar extraordinário, basta tomar atitudes diferentes, para obter resultados extraordinários.

Ser sexy é diferente do que ser rico – Ramith afirma que, quando fala de ações, investimentos em fundos e outras aplicações financeiras, a maioria das pessoas falam como operaram na última semana, como venderam com lucros e demais atividades, sendo, portanto, sexy em se tratando destes ativos, ao passo que ele dificilmente vende, geralmente só compra, e de maneira automática, fazendo alocações e distribuição em suas carteiras no intervalo de meses, duas vezes ao ano e só. Não é tão sexy e sofisticado, mas dentre aqueles que tiveram maior resultado é a estratégia de melhor efeito.

Consulte também outras postagens sobre o tema de finanças lendo sobre orçamento doméstico aqui

Caso tenha gostado deste trecho de livro e não queira perder quando houver atualizações, deixe seu e-mail na página inicial do blog.

Sobre o Autor

Fernando Pinheiro administrator

Fernando Pinheiro é formado em Administração de Empresas com especialização em Gestão Empresarial. Professor convidado em várias Universidades do Noroeste e Norte do Paraná, montou este blogue sobre Finanças e Investimentos para ajudar a você se tornar mais próspero.

Deixe uma resposta