Buffettology: o método Warren Buffet de investir, parte 02

porFernando Pinheiro

Buffettology: o método Warren Buffet de investir, parte 028 min read

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.

b) Empresas de monopólio: como o próprio nome diz, as empresas de monopólio, ao contrário das empresas tipicamente de consumo, não precisam brigar por clientes, apresentar preços competitivos, pois estas são únicas no mercado (Coca-Cola?). Alguns exemplos cujas empresas estão no portfólio atual de Warren são a Coca Cola e a Apple. No entanto, várias outras empresas norte americanas, por exemplo poderiam ser consideradas monopólios, por terem em suas carteiras uma grande fatia de mercado como o Bank o America, (BAC), a Google, Facebook, VISA, Mastercard, no Brasil podemos citar, COPEL empresa pública que monopoliza a entrega de energia elétrica, Sanepar, empresa que monopoliza a entrega de água entre outras. Dessa forma a rentabilidade anual dificilmente cairá, podendo este tipo de empresa continuar, com certa previsibilidade, altas taxas de payouts.

 Um dado interessante escrito por Mary é que o mestre de Warren Benjamin Graham, comentou certa vez um estudo realizado no qual uma empresa cresce à proporção que retém os lucros para si, subtraídos os lucros divididos aos acionistas por meio dos dividendos, por exemplo, se a empresa cresce a 12% ao ano, paga 8% de dividendos anuais aos acionistas, esta mesma empresa irá crescer, portanto, 4% ao ano; no entanto Warren, em seus estudos posteriores, percebeu que em sua grande maioria, as empresas não faziam, de fato este caminho, crescendo muito pouco ou somente mantinham seu status ao longo do tempo. Em outras palavras, os acionistas da maioria das empresas tinham dificuldade enorme de crescer, ampliar seu portfólio.

Nesta mesma linha, Warren evitava empresas as quais tinham ganhos esporádicos, focava nas empresas as quais tinham ganhos consistentes, ano após ano. Isto têm o lado positivo e negativo, cada pequeno investidor pode conhecer o seu perfil de investimentos ou o tipo de portfólio que deseja construir ou manter a fim de seguir ou não esta dica de Warren, por exemplo, investir em suas empresas Berkshire Hathaway, pode ser vantajoso para quem quer, a certo modo, aumento de capital, somente, uma vez que a empresa citada não distribui os dividendos, incorporando-a a si mesma, mas não tão vantajoso a um terceiro o qual quer construir uma renda passiva vitalícia, o que se dá por meio dos dividendos pagos das ações, para isso ele deve investir naquelas que distribuem o capital, independentemente do crescimento anual.

Uma das estratégias de negócio em si as quais o mestre dos investimentos usa para investir é procurar empresas as quais não necessita, de fato ampliar a carteira de produtos ou comprar mais máquinas para crescer, mas sim apenas expandir para novos territórios dado o core do negócio ser lucrativo em si ou visando o crescimento adquirindo novos negócios/concorrentes.

3 São os detalhes os quais fizeram Warren investir seu dinheiro em algumas empresas americanas e estrangeiras:

  1. empresas as quais são altamente lucrativas, com bom e permanente fluxo de caixa
  2. estas mesmas empresas as quais conseguem manter os lucros para si, em vez de distribuir profusamente gastar estes lucros
  3. empresas as quais, em seu modelo de negócio, não precisem gastar seus lucros para repor/manter seu produto ou serviço em funcionamento.

Corroborando argumentos já colocados nos tópicos acima, um dos tipos de empresa a investir o qual Warrent usaria, seria aquela onde os usuários usam e descartam rapidamente, devido a necessidade, tais como Gillete para homen ou absorvente para mulher, uma vez que, independentemente de crises, estações do ano ou outra sazonalidade, o fluxo de caixa permanece praticamente constante.

 A autora dá exemplo de como a concorrência, a briga entre preços destrói o pequeno investidor, ela disse que há alguns anos o preço de uma passagem aérea de oklahoma para Paris era de 1000 dólares e, embora nos últimos 30 anos os custos com combustível, mecânica, seguros, manutenção tenha aumentado 4x, o preço caiu para 500 dólares. Bom para o consumidor, terrível para o investidor.

Empresas as quais ficam na memória do consumidor, como Hershey’s chocolates https://www.marketwatch.com/investing/stock/hsy, Coca-Cola entre outros. A autora mostra que o portfólio do investidor tende a ser um reflexo das empresas que mais têm lucratividade no ramo em que atua, por exemplo uma farmácia têm que ter Doril, Dorflex, Gillete, Rexona, uma supermercado têm de possuir os produtos da Unilever e Proctor e Gamble.

Nesta linha de raciocínio, Warren investe nas empresas que têm grande marca à frente, uma vez que, por exemplo, a farmácia ou supermercado, caso deixe de vender os produtos das grandes marcas, entrará em falência, já a marca em si continuará tendo lucratividade, em função do trabalho realizado sobre seu branding.

Logo após esta explanação, a autora do livro relata sobre a questão do marketing, sobre campanhas de Televisão, shows e rádio como veículo para que as marcas venham a ser disputadas entre os clientes. Basicamente, a mídia é o campo de batalha entre as marcas, vencendo aquela que têm maior participação do mercado. Mary Buffett afirma que, no método Warren, ele investe consistentemente, em especial nas capitais, nos produtos de sua holding, dizendo que há, no momento da confecção do livro, aproximadamente 67 companhias de televisão a se explorar neste sentido.

Interessante que no livro a autora mostra uma das maiores empresas de Mídia no mundo,a Interpuplichttps://www.interpublic.com/, no site da empresa, assim como no livro, podemos verificar que a empresa é detentora de centenas de afiliadas espalhadas pelo mundo todo, em especial agências de marketing que desenvolvem campanhas de marketing digital, televisiva, entre outras, em termos de funcionários, é a maior do mundo, com 54000 empregados, cuja propriedade, Warren, conhecendo o potencial único deste tipo de ramo de serviço, adquiriu participação de 17%.

Outro tipo de negócio que Warren aplica, dada a sua baixa volatilidade, mesmo em épocas de crises, as quais, inclusive, geram dividendos para os detentores mesmo quando seus clientes estão “inadimplentes” são as bandeiras de cartão de crédito, como a American Express, https://www.marketwatch.com/investing/stock/axp, cujas ações estavam $100,00 (cem dólares) em 2018 e passaram a $120,00 (cento e vinte) dólares em 2019, um aumento de 20%!, além disso, este tipo de empresa não precisa pagar por altos salários a seus funcionários, pois exigem baixa formação técnica para tal, bem como, não necessitam de altos investimentos para manter e expandir a estrutura de recebimento/fluxo de caixa.

A autora comenta que, segundo a época de lançamento do livro, a melhor maneira de descobrir se era possível ou não investir em uma empresa, era descobrir seus relatórios anuais, balanços. A autora recomenda algumas medidas as quais estão desatualizadas outras nem tanto, por exemplo, recomenda ligar para as empresas solicitando gratuitamente os relatórios ou balanços anuais, bem como visualizar a revista Smart Money. Acontece que a revista foi incorporada há anos no site MarketWatch.com e, com rápida pesquisa no Google, se a empresa tiver ações disponíveis ao público, todas as informações de balanço poderão ser acessadas, devido à lei que obriga a divulgação para empresas de companhia aberta. No entanto, há empresas as quais fazem trade com suas ações, porém não são públicas, neste caso, ainda que consiga fazer uma ligação telefônica para tal empresa, ela não será obrigada a lhe fornecer qualquer tipo de informação quanto aos preços das ações, distribuição de dividendos e crescimento anual, por exemplo.

Dentro deste tema de pesquisa sobre qual ação investir a autora dá uma dica valiosa, em especial para aqueles que querem manter uma carteira dolarizada, isto é, com ativos em dólar, o que é interessante para quando o real estiver desvalorizado em relação ao dólar,a fim de deixar a carteira mais balanceada.

É conhecer a Value line Investment Survey,  a qual, na época, era uma revista que publicava periodicamente um estudo de 1700 empresas na Bolsa de Nova York, Nasdaq e outros bolsas americanas, juntas, estas empresas formavam mais de 95% de todas as transações do mercado financeiro americano. Interessante que esta revista está viva até hoje, mas não no formato impresso, como na época, mas sim no formato digital, por meio deste site: https://www.valueline.com/, como o próprio site afirma, é uma empresa que está ativa há mais de 80 anos, cobrindo com avaliações as empresas indicadas ao investimento. Apresentam-se como uma companhia independente, sem viés, cujos mais de 70 auditores e analistas não podem aplicar nas próprias ações que recomendam, segundo as melhores políticas de casa de investimento do mundo. Continua>>>

Sobre o Autor

Fernando Pinheiro administrator

Fernando Pinheiro é formado em Administração de Empresas com especialização em Gestão Empresarial. Professor convidado em várias Universidades do Noroeste e Norte do Paraná, montou este blogue sobre Finanças e Investimentos para ajudar a você se tornar mais próspero.

Deixe uma resposta