Educação Financeira: o acúmulo de dinheiro e posses não significa necessariamente inteligência.

porFernando Pinheiro

Educação Financeira: o acúmulo de dinheiro e posses não significa necessariamente inteligência.6 min read

Conheça a história do Oceano, do Rei e do Cavalo as quais ilustram como nossos desejos são insaciáveis e, mesmo que você tenha todo o dinheiro do mundo para gastar, ainda assim você corre o risco de não ser feliz e ser satisfeito.

Certa vez um menino ao chegar na Orla da praia visualizou um monte de lixo na areia e começou a refletir de como existe uma inteligência no oceano a qual nunca deixa acumular lixo em seu interior, tanto que pensou “o oceano é tão grande porque não deixa somente uma pequena parte do lixo no fundo do mar em vez de jogar na areia? porque se assim o fizesse, desde o começo de seu nascimento, certamente hoje o oceano estaria cheio até as bordas…

Assim devemos pensar em nossa vida financeira, em relação às dívidas…imagine se você aceitasse toda e qualquer mensalidade, que todo e qualquer vendedor conseguisse te empurrar um objeto ou serviço novo, como estaria sua vida financeira?

É certo que, principalmente entre aqueles que já vivem com muito pouco, somente o básico, adquirir um produto ou serviço os fazem sentir bem aumenta o conforto, a autoestima e, muitas vezes, passamos a ser respeitados e admirados perante novas aquisições que realizamos, mas o preço disso deve ser pesado a fim de que a capacidade de pagamentos não fique afetada.

Ainda, de forma complementar à história do Oceano, que nos ilustrou que devemos, de forma antecipada, não acumular dívidas em nossa vida financeira a fim de evitar acúmulos ao longo do tempo, podemos citar a história do Rei fraco, que não conseguia dizer não às suas esposas.
Ele tinha cinco esposas, todas elas viviam para que o rei pudesse as satisfazer, e, estando cheio de viver somente em função delas, convocou a população do reino para debater como se tornar um esposo que pudesse viver sem ter o incômodo de ter de satisfazer todos os desejos das mulheres o dia todo.
Então montou duas grandes tendas, uma ao lado da outra, e, na primeira, deveriam entrar aqueles que são dominados por suas esposas, a segunda aqueles que não são dominados pelas esposas, lembrando que o rei tinha cinco esposas. No final do experimento, quando a primeira tenda dos maridos dominados pelas esposas estava completamente cheia, o rei se dirigiu para a segunda tenda, a qual havia somente um homem, o qual, supostamente, sabia como lidar com a satisfação dos desejos de sua esposa. Quando inquirido sobre o que ele fazia para realizar tal façanha, o rei veio a descobrir que o cidadão estava ali mandado por sua mulher, e que preferia receber qualquer castigo do rei que não fosse encarar os olhos de sua mulher furiosa, caso trocasse de tenda…

As cinco mulheres poderiam ser comparadas aos nossos cinco sentidos:

visão >>> exige que somente as coisas mais belas seja, vistas, podemos colocar aqui as pessoas que amam viagens, paisagens deslumbrantes, praias paradisíacas, monumentos rochosos entre outros (me coloco aqui, pois tenho viajado 2x ao ano, para fora do país nos últimos anos);

audição>>> aqui podemos elencar as pessoas que gastam fortunas para ir a concertos, que vão à locais onde há shows ao vivo, compram assinaturas para ouvir as músicas mais doces, saudosistas etc;

olfato>>> aqui podemos colocar as pessoas que compram perfumes caros, que gostam de roupas sempre com os melhores amaciantes, que gastam bastante com perfumaria entre outros acessórios;

paladar>>> são as pessoas exigentes que compram os alimentos requintados, em boa quantidade com sabores deliciosos;

tato>>> são pessoas ligadas ao conforto de roupas sempre novas e macias, de roupas de cama fofas e sedosas, também aqueles que adoram a luxúria da sensualidade, a extravagância neste sentido;

Você pode estar se perguntando, “quer dizer que eu não posso experimentar ou usufruir nada disso?” não se trata do experimentar ou evitar ao máximo, mas sim não correr o risco de viver uma vida financeira saturada, no limite, somente para satisfazer os sentidos, isto é, evitar os gastos excessivos em um ou mais dos sentidos citados acima.

Esta parábola serve para ilustrar que devemos utilizar o intelecto, como diferencial do Homo sapiens, dos demais seres, a fim de direcionar ou focar em nossas metas e realizações de longo prazo, a fim de que os desejos não nos tomem 100% do tempo…
Os desejos em si também podem ser comparados a um cavalo, caso o cavalo, o homem como o montador. Se o cavalo não ser dominado, este poderá levar o homem à ruína, somente um cavalo adestrado que obedece o homem pode levá-lo onde quiser…assim deve o homem dominar seus desejos, em especial os animalescos, a fim de que estes
não o dominem…

há uma teoria em economia que retrata, basicamente, tal concepção…o custo de oportunidade, o custo de oportunidade pode ser traduzido no qual tudo o que você está fazendo agora, qualquer projeto que seja, uma empresa, um intercâmbio, um investimento, isto requer tempo, energia e capital os quais poderiam ter sido investidos em outra área, talvez gerando mais dividendos, mas você escolheu aquela que está fazendo agora. Isto se trata de custo de oportunidade

Aprender a viver com menos também é importante, conforme afirmou Timothy Ferris “menos é mais” isto significa que, por exemplo, menos posses, menos dores de cabeça e custos de manutenção, menos impostos a pagar.

Conclusão

Uma das maneiras mais sábias para o verdadeiro enriquecimento é o balanço entre aquisição de posses, gastos em satisfação dos prazeres com a multiplicação dos bens ou bom gerenciamento do capital que já temos em mãos ou buscamos conseguir. Muitas vezes, as pessoas pensam que a realização se dá somente no acúmulo, na satisfação dos desejos sem pensar que estes podem até mesmo aumentar com o tempo, independente da renda, isto é, não importa se você ganha R$1.000,00 ou R$10.000,00 os desejos sempre estarão presentes e poderão lhe exigir mais e mais dinheiro de sua parte. A dica é utilizar o intelecto e intuição para acumular conhecimento e/ou experiências não necessariamente materiais a fim de que os custos sejam mais leves e o impacto positivo na sua vida e dos outros ao seu redor continuem sendo grandiosos e geradores de bons dividendos.

Sobre o Autor

Fernando Pinheiro administrator

Fernando Pinheiro é formado em Administração de Empresas com especialização em Gestão Empresarial. Professor convidado em várias Universidades do Noroeste e Norte do Paraná, montou este blogue sobre Finanças e Investimentos para ajudar a você se tornar mais próspero.

Deixe uma resposta