Resenha de Livro: Mais Esperto que o Diabo – parte 03

porFernando Pinheiro

Resenha de Livro: Mais Esperto que o Diabo – parte 036 min read

Um dos livros de empreendedorismo mais vendidos no Brasil, Napoleon Hill faz sucesso há décadas no mundo todo, com dezenas de livros publicados contendo ensinamentos de psicologia empreendedora, negócios, mindset, autoconhecimento entre outros, aproveite!

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon

Interessante que o autor, na entrevista com o Diabo, ressalta o poder do foco, também chamado de autodeterminação, como uma das principais formas de se defender da alienação, e, com isso, do Diabo.

A autodeterminação, isto é, o desejo definido para se alcançar ser, ter ou fazer, limita e muito a atuação maléfica do hipnotismo das forças negativas, diabólicas, de tal forma que, quando bem aplicada, pode produzir, pela lei da compensação, outro agravante, outra armadilha: a possibilidade de cair na tentação do poder e da vaidade.

Abro um parênteses aqui, pois lembrei de um detalhe do poder da determinação, do propósito ilustrado nos filmes em quadrinhos ou história dos filmes: a pessoa malvada sempre têm algum super poder ou grande capacidade de liderança…a mesma energia do personagem bonzinho dos filmes é a mesma do super herói, no entanto,  este último converte para o bem de outras pessoas, ao passo que o malvado arroga para si toda a glória e benefícios, fazendo que o diabo a tenha de volta, pela lei da compensação…

Até o amor pode fazer um gatilho para o Diabo, o amor e o medo faz com que o Diabo perceba a isca mais forte para cair nas armadilhas, uma vez que estas, muitas vezes, deixam de pensar e analisar quando estão embebidas deste…

Deve ser controlado, portanto.

Comenta que a verdadeira oração deve ter um propósito definido, com forte desejo, ardente naquilo que se quer obter da vida..

A maioria lembra da oração quando tudo o mais falhou e quando o fazem já estão cheios de medo que não irá funcionar, assim, a lei da natureza, realmente as coisas não funcionam…

Visualizar e sentir o que se quer da vida, metodicamente, faz o equivalente material se condensar na matéria…

Num dado momento, o autor reafirma que os maiores aliados do Diabo, são a ignorância e o medo, sendo a ignorância uma espécie de relapso, delinquência ou falta da pessoa que deixou de alimentar com conhecimento seu intelecto, relegando-o, desta forma, a pobreza.

 O desejo por comida, sexo e emissão de opiniões sobre os temas os quais não têm domínio, são colocados como principais erros sobre os humanos, os quais, a fim de não serem alienados, precisam dominar, a fim de poderem primeiro liderarem a si mesmos, para depois os outros.

No livro, é mostrado que 95% das dores de cabeça se dão por aquilo que é chamado “auto intoxicação”, que nada mais é do que comer exageradamente. Caso uma pessoa que tenha enxaquecas fizer uma lavagem intestinal, a dor de cabeça some.

Depois do controle da vontade de comer, o autor coloca o controle sobre a emoção do sexo como uma das prioridades a serem alcançadas pelo homen na terra, entendendo-se tanto o homen quanto a mulher neste caso.

Afirma que se as pessoas gastassem somente 50% da energia gasta hoje no sexo para as atividades profissionais, ele não mais estaria face a face com a pobreza, nunca mais.

Dentre os benefícios alcançados pelo homen que transmuta a energia sexual, necessária e inevitavelmente existente para todas as pessoas:

  • Voz agradável que consegue persuadir;
  • Entusiasmo e brilho nos olhos;
  • Vontade perseverante;
  • Garra e determinação para alcance dos objetivos;
  • Pensamento perspicaz;
  • Autoestima elevada;
  • Vontade de vencer, alta probabilidade de conseguir êxito;

De igual modo, elenca as desvantagens do abuso da energia sexual:

  • Falta de vontade em conseguir aquilo que se deseja;
  • Pensamentos vagos e difusos
  • Baixa auto estima, irritabilidade
  • Diminuição do brilho e fator magnético da pessoa
  • Envelhecimento precoce
  • Por fim, alienação no comportamento e pensar

O pensamento acertado, isto é, o pensamento com clareza, ainda assim, têm fator que mais chama a atenção e está no topo da lista a fim de evitar cair nas garras do diabo.

Digno de nota, o diabo, na entrevista, afirma que outro erro fatal das pessoas é falarem demais, a fim de se sentirem importantes e sobressaírem em relação aos outros e, quando não solicitadas, ao falarem, mui facilmente expõe seus planos e desejos, tornando-os muitas vezes alvo de desejo e cobiça dos outros, o que acaba inviabilizando-os.

Após a abordagem sobre o poder do hábito que dispenso comentários pois há um ótimo livro publicado sobre este tema, inclusive com o título “O poder do hábito”, na obra faz uma afirmação contundente a qual concordo, nos seguintes termos: não há espaços vazios na criação, todo e qualquer espaço, inclusive o mental, deve ser preenchido de alguma forma. Sendo assim, aquela mente que não se ocupa com pensamentos positivos, criativos, de sublimação espiritual, intelectual, profissional ou afins, tende a ser preenchidos de matéria negativa, que vão, por fim, destruir este receptáculo.

Para finalizar, o autor ainda comenta sobre a sabedoria, cautela e harmonia.

A sabedoria é uma junção entre conhecimento + tempo. Só o conhecimento em si não é sabedoria, senão não haveria tantas armas com os conhecimentos científicos disponíveis, bem como o tempo por si só não deixas as pessoas sábias, senão todos os idosos seriam sábios, no entanto, com a aquisição principalmente do conhecimentos das leis da natureza e habilidade de relacionamento com as pessoas, um indivíduo saudável consegue a realização de qualquer desejo em sua vida, fazendo com que as leis da natureza trabalhem a seu favor.

A harmonia é tratada sob a forma de imposição do meio ao indivíduo, cuja capacidade tende a formar seus hábitos e personalidade. É de sua responsabilidade escapar ou sair do meio que o prejudica neste caso, e caminhar em direção àquele que o beneficia.

Sobre a cautela, é uma espécie de comparativo às pessoas que atuam de forma mais emocional e racional.

A cautela, neste caso, atuar com razão, faz com que os não alienados estudem cada passo, cada decisão minuciosamente antes de o fazer, analisando as causas e efeitos desta. Os alienados, sem o uso da razão, tomam primeiro as decisões para depois pensar, se é que vão pensar sobre.

A cautela não deve ser excessiva para não virar medo, que paralisa o indivíduo, mas deve ser observada antes e ser considerada como fator de peso para todo e qualquer negócio.

Inscreva-se para receber postagens novas do blog clicando no sino vermelho localizado no canto inferior direito da página.

Sobre o Autor

Fernando Pinheiro administrator

Fernando Pinheiro é formado em Administração de Empresas com especialização em Gestão Empresarial. Professor convidado em várias Universidades do Noroeste e Norte do Paraná, montou este blogue sobre Finanças e Investimentos para ajudar a você se tornar mais próspero.

Deixe uma resposta