Resenha O homen mais Rico da Babilônia – parte 03

porFernando Pinheiro

Resenha O homen mais Rico da Babilônia – parte 036 min read

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.

[…] de construir sua própria riqueza, de fazer engordar sua própria bolsa, que dantes, a dele mesmo estivera vazia, e que havia visualizado gorda e tilintante de moedas, só depois de construída a sua própria fortuna é que passariam a ensiná-la adiante. Eis sua primeira tarefa, no tocante a não gastar mais que nove décimos – 90% – de sua renda guardando sistematicamente o restante, o que equivale a 10% em uma bolsa e retê-lo fielmente.

Disse que na sua juventude lhe incomodava muito o fato de “viver quebrado”, muitas vezes sem uma moeda sequer entre seus dedos, o que lhe deixava deprimido, via oportunidades passar diante de seus olhos e nunca podia usufruir, uma vez que nunca tinha um pequeno capital que fosse para investir. Foi quando tomara a decisão de reter este valor para consigo e assim viu verdadeiros milagres se desenvolver em sua vida, aproveitando desde o simples prazer da segurança que o dinheiro proporciona, como para o fato da obtenção da liquidez, da possibilidade de compra imediata, se quisesse, dos itens que desejava ou precisava para o momento.

Na segunda lição, controle seus gastos, Arcad faz seus alunos perceberem a real diferença que existe entre desejos e necessidades.

Comenta que as necessidades são aquelas que, independentemente do desejo dos incautos, são despesas que estes obrigatoriamente serão direcionados a gastar, como o pagamento do combustível do corpo, que é a alimentação, como a questão da moradia para aqueles que já são adultos e moram fora da casa dos pais, da vestimenta, a qual pode ser modesta e barata. Sobre os desejos, arcad disse que não há um fim, este deve ser controlado, pois os desejos humanos são infinitos e se esgotaria todas as fontes de recursos naturais da terra antes de satisfeitos todos os desejos desta espécie de criaturas humanas e mesmo ele, um rico senhor que acumulara invejável fortuna, não seria louco de satisfazer todos os desejos que lhe passam sobre a mente, limitando suas viagens, suas bebidas, limitando suas comemorações entre outros. Gerenciar da melhor forma possível estes desejos, fazemo-nos senhores de nós mesmos, capazes de formar nossa visão interior de acumular patrimônio sólido e rentável de maneira mais real, deixando de lado as quinquilharias que muitas vezes nos satisfazem na correria do dia-a-dia.

Na terceira lição, fazer o dinheiro trabalhar para si, neste episódio Arcad comenta que seu primeiro investimento tivera sido um fracasso, pois aplicou seu suado dinheiro em um negócio cujos gestores não tinham conhecimento daquilo que faziam com experiência, ou seja, aplicou em uma aventura, com apenas promessas de ganhos.

Foi somente na segunda tentativa, quando emprestou seu dinheiro a um escudeiro, o qual importava de longe o bronze a ser trabalhado, que realmente viu, ao longo de meses, seu dinheiro multiplicar, o escudeiro sempre emprestava dinheiro de alguém que tinha mais do que ele, e tinha fama de pagar seus compromissos diligentemente, assim, havia aplicado sabiamente, feito parceria com quem não só tinha conhecimento de um negócio lucrativo, mas também experiência no ramo, deixando poucas chances do negócio dar errado.

Com este exemplo disse que o capital, quando bem aplicado têm uma propriedade de multiplicar-se, como se cada moeda fosse um pequeno soldado que trabalha dia após dia para a liberdade do seu patrão.

Na quarta lição, proteja seu capital, Arcad relembra de como perdeu seu dinheiro na primeira tentativa empreendedora de fazer multiplicar seu capital, tendo, portanto, experiência e segurança em recomendar o que fazer com o dinheiro, dentre as formas que ele cita em seu curso, somado com aquelas dicas que venho lendo de diferentes fontes, podemos citar:

  • Investir em negócios cujos administradores tenham real experiência no ramo;

  • Perguntar e esclarecer dúvidas sobre dinheiro e crédito, com quem realmente o possui, não somente de quem leu sobre;

  • Proteger o patrimônio imobilizado com seguros;

  • Proteger a o patrimônio líquido como reservas de salários com pagamento de seguros profissionais, no caso de médicos, advogados, engenheiros e consultores financeiros

  • Questionar-se várias vezes se o investimento a ser aplicado têm a rentabilidade, liquidez e segurança em vista.

  • Minimizar riscos na abertura de empresas optando por franquias e modelos de negócio que já foram sucesso em diferentes partes do país ou do mundo;

Na quinta lição, tenha o seu próprio lar, Arcad comenta que os emprestadores de dinheiro louvam aquele que quer fazer tão grande sonho de possuir sua própria casa, que as mulheres tratam melhor os homens que não mais vivem pagando aluguel por sua moradia e que, na época, o rei estava com a intenção de ver suas terras povoadas de moradores satisfeitos com os próprios terrenos de sua moradia, onde os filhos das famílias pudessem brincar e as mulheres plantarem flores e seus próprios condimentos para o preparo das refeições.

Na sexta lição, seja previdente quanto à sua velhice, Arcad comenta que se apresenta um quadro muito triste quando um homem que já não conta mais com o brilho da mocidade e sua respectiva energia e atratividade, não possui rendimentos dignos de aproveitar seus últimos anos na terra.

É lei da natureza que o homem passe as fases da infância, jovialidade, adulta e depois a velhice, caso os desígnios do alto não lhe abreviem a existência, destas fases, aquela em que o homem se encontra com maior fragilidade e dependente de uma renda estável é a da velhice, portanto, sugere se preparar para esta fase.

Parabéns por ter chegado na leitura da resenha até aqui, para ler a última parte, constituída de mais 7 páginas, insira seu e-mail na caixa abaixo e o sistema lhe enviará automaticamente o arquivo:



Sobre o Autor

Fernando Pinheiro administrator

Fernando Pinheiro é formado em Administração de Empresas com especialização em Gestão Empresarial. Professor convidado em várias Universidades do Noroeste e Norte do Paraná, montou este blogue sobre Finanças e Investimentos para ajudar a você se tornar mais próspero.