Arquivo de tag Cartão de crédito

porFernando Pinheiro

20 perguntas e respostas sobre cartão de crédito

Tenha a resposta para a maioria das dúvidas sobre um dos instrumentos financeiros mais utilizados (e útil) pelos brasileiros: o cartão de crédito.

Índice das perguntas em ordem:

1 – O que são os encargos financeiros do cartão de crédito?
2 – Qual utilidade da fatura de cartão?
3 – O que se entende por limite de crédito? há como aumentá-lo?
4 – Porque existe o pagamento mínimo no cartão de crédito?
5 – Como é composto o valor de pagamento mínimo do cartão de crédito?
6 – O que acontece se eu não pagar a fatura de cartão de crédito?
7 – Para que serve os programas de recompensas, nos cartões de crédito? existem para todos os cartões?
8 – Quais benefícios o cartão de crédito pode oferecer?
9 – Quais são os tipos de cartão mais utilizados?
10 – Quais são os custos fixos e variáveis de se ter um cartão de crédito?
11 – É normal uma pessoa, ao realizar uma compra, ser questionado sobre sua identidade, isto é, ter de apresentar um documento de identidade?
12 – Porque, em algumas situações, meu cartão de crédito não é aceito, ou apresenta algum erro no momento da compra? o que se fazer para evitá-los?
13 – Posso realizar o cancelamento de uma compra realizada por engano?
14 – Como posso proteger meu cartão de crédito?
15 – Percebi que muito em relação à segurança de um cartão de crédito se refere ao local onde realizamos a compra, como reconhecer, por exemplo, que um site é seguro?
16 – Onde posso tirar minhas dúvidas em relação ao cartão de crédito, quem pode me ajudar neste sentido?
17 – Como posso evitar cair nas armadilhas do cartão de crédito, em termos de pagamento de altos juros? quais são as estratégias mais eficientes neste ponto?
18 – Como sair das dívidas atreladas a um cartão de crédito?
19 – Há como pagar boleto utilizando o cartão de crédito?
20 – Sabendo que uma das maiores despesas do cartão de crédito é a anuidade, como obter um cartão de crédito onde não há necessidade de pagamento da anuidade?

Infelizmente, pela falta de educação financeira de boa parte das pessoas das terras brasileiras, o cartão de crédito muitas vezes é considerado o vilão da história, no entanto, ao descobrir seus benefícios, vantagens e principalmente as regras do jogo, minimizamos as chances desse instrumento financeiro se voltar contra nós, por meio dos juros abusivos e acabamos por ficar com o que de melhor ele nos pode oferecer, o que é, entre outras coisas, um meio de pagamento à vista, ou até mesmo antecipado, onde iremos pagar sem juros somente numa data futura, o que, de outra forma, nos consumiria o dinheiro à vista, a liquidez, que tem um valor substancialmente bem melhor do que um dinheiro somente numa data futura. Por meio das perguntas e resposta abaixo, saia na frente deste jogo e nunca mais perca dinheiro ou fique endividado com o cartão de crédito.

1 – O que são os encargos financeiros do cartão de crédito?
São os juros e tributos devidos em caso de financiamento das despesas realizadas com o cartão e contratação de empréstimos ou financiamentos com o cartão.

2 – Qual utilidade da fatura de cartão?
É o documento emitido mensalmente pelo emissor, que informa o total dos gastos com o cartão, o pagamento mínimo, o seu limite de crédito, dentre outras informações importantes. Nem as bandeiras nem as credenciadoras participam da emissão da fatura.

3 – O que se entende por limite de crédito? há como aumentá-lo?É o valor máximo permitido para a utilização de seu cartão. O emissor poderá disponibilizar limites de crédito específicos para compras parceladas, crédito pessoal, retirada de recursos no Brasil ou no exterior e demais operações. O limite pode ser aumentado automaticamente pelo seu banco ou a pedido, uma vez atendido os critérios que mudam de banco para banco, neste caso, compensa falar com seu gerente para conhecer tais critérios particulares de cada instituição.

4 – Porque existe o pagamento mínimo no cartão de crédito?

o valor mínimo indicado na fatura que você pode pagar, até a data de vencimento dela, para não ficar em atraso. Optando pelo pagamento mínimo, você financiará o saldo restante de sua fatura. Sobre esse saldo haverá incidência de juros e outros encargos, e, na fatura seguinte, todo esse valor deverá ser quitado integralmente ou poderá também ser parcelado, conforme as opções apresentadas na própria fatura

5 – Como é composto o valor de pagamento mínimo do cartão de crédito?

1 – O percentual mínimo de suas compras no mês, definido pela emissora
2 – Valor rotativo do mês anterior
3 – valor da prestação do parcelamento contratado

6 – O que acontece se eu não pagar a fatura de cartão de crédito?
Se você não realizar o pagamento de sua fatura na data do vencimento, você estará em atraso e seu cartão poderá ser bloqueado. Caso você pague a fatura só depois da data de vencimento, na próxima fatura, além da cobrança de juros, tarifas e impostos, também haverá cobrança de multa imposta pelo emissor

7 – Para que serve os programas de recompensas, nos cartões de crédito? existem para todos os cartões?

Não existem tais programas para todos os cartões. Programa destinado apenas a um cartão diferenciado, que permite o acúmulo de pontos com a utilização do cartão, os quais podem ser trocados por serviços, produtos ou descontos junto às empresas parceiras. O programa de recompensas pode ser gerenciado pelo emissor ou pelo parceiro (administrador do programa), conforme previsto em regulamento. Em geral, trata-se de milhas aéres para cada dólar utilizado, espaços exclusivos em aeroportos e eventos, brindes e descontos em marketplaces ou sites de compras da própria bandeira ou do programa de recompensas do banco.

8 – Quais benefícios o cartão de crédito pode oferecer?

1 – Parcelamento de compras
2 – Compras no exterior
3 – Saque em dinheiro
4 – Empréstimo pessoal
5 – Parcelamento do saldo da fatura
6 – Financiamento do saldo da fatura (pagamento parcial)
7 – Até 40 dias para pagamento de compras
8 – Serviços de assistência em viagem
9 – Seguro de acidentes pessoais para o titular, adicionais e filhos até determinado limite de idade
10 – Seguro de bagagem e aluguel de veículos
11 – Programas de recompensas
12 – Programas de descontos e ofertas especiais em certos estabelecimentos comerciais e lojas virtuais
13 – Acesso à sala VIP em determinados aeroportos
14 – Serviços de agência de viagem no Brasil e/ou no exterior
15 – não necessidade de dinheiro em espécie para pagamento de produtos e serviços
16 – segurança de conseguir dinheiro de volta na compra de produtos com defeito ou com preço similar em um determinado espaço de tempo, normalmente 30 dias após compra.
17 – Possibilidade de viajar todos os anos somente com milhas aéreas
18 – Ampla gama de produtos e serviços os quais se tem acesso somente com cartão de crédito, em especial programas de assinaturas e produtos on-line
19 – Acesso à aplicativos de finanças anexados aos aplicativos do cartão de crédito, em alguns casos
20 – Acesso a pagamento de contas, extratos, conferência de saldo, empréstimos e outros recursos do cartão de crédito sem necessidade de visitar uma agência bancária física, sendo 100% digital o gerenciamento deste instrumento via app.
21 – Isenção de tarifas de saque no exterior, as quais podem chegar a R$100,00 por saque, bem como isenção de taxa de IOF, a qual está na casa de 6% do valor da transação, caso opte, por meio de planejamento, em efetuar uma recarga em cartão de crédito internacional, em dólares ou euros, antes de realizar uma viagem ao exterior.

9 – Quais são os tipos de cartão mais utilizados?

a) Cartão de compra: Tem as mesmas funcionalidades de um cartão de crédito. O que o difere é que a fatura tem que ser paga integralmente na data do vencimento, não havendo assim a opção de pagar parte da fatura em um mês e o restante no mês seguinte (crédito rotativo).

b) Cartão débito: É o cartão que permite efetuar o pagamento de compras com débito direto na conta-corrente. Dessa forma, você deixa de usar cheques e de ter a necessidade de sacar dinheiro sempre que precisar realizar alguma compra. A aprovação do pagamento é feita
mediante a existência de saldo/limite disponível na conta-corrente no momento da transação.

c) Cartão pré-pago: Ele funciona como um celular pré-pago: você deposita um determinado valor e consome o crédito de acordo com a necessidade. No caso do cartão, você deposita o valor e pode efetuar o pagamento de compras e serviços que desejar, desde que tenha saldo no cartão. Esse cartão pode ser recarregado novamente ou ter utilização única, dependendo do modelo. Alguns exemplos de cartão pré-pago: vale-alimentação, valerefeição, cartão-mesada e vale-presente. Também muito utilizado para viagens no exterior, uma vez que tais tipos de cartão de crédito aceitam depósitos em reais, porém são automaticamente convertidos em Dólar ou Euro, isentando assim eventuais saques no exterior, o que apresentam taxas altas.

10 – Quais são os custos fixos e variáveis de se ter um cartão de crédito?

1 – Anuidade
2 – Fornecimento da segunda via
3 – Utilização dos canais de atendimento para retirada em dinheiro
4 – Pagamento de contas utilizando a função crédito
5 – Avaliação emergencial de crédito
6 – Custo psicológico e de tempo ao se mudar de um banco para outro ou de uma operadora de cartão para outra, uma vez que não há obrigatoriedade de ter um cartão de crédito atrelado a uma conta bancária.

11 – É normal uma pessoa, ao realizar uma compra, ser questionado sobre sua identidade, isto é, ter de apresentar um documento de identidade?

Sim, tal procedimento é normal, e visa sua própria segurança, evitando assim que outras pessoas utilizem seu cartão de crédito

12 – Porque, em algumas situações, meu cartão de crédito não é aceito, ou apresenta algum erro no momento da compra? o que se fazer para evitá-los?

Uma das razões abaixo pode ocasionar o bloqueio de suas compras, nos estabelecimentos comerciais ou on-line. Verifique o que pode ser feito para evitar tal constrangimento.

a) Seu limite de crédito não foi suficiente para realizar a compra. Assim, evite atingir 100% de seu limite do cartão, consulte este limite regularmente em seu aplicativo do cartão.

b) O pagamento da sua fatura ainda não foi processado. Desta forma, dê um tempo de, no mínimo, 24 horas para realizar novas compras, assim que paga a fatura

c) Falha de comunicação entre os sistemas. Isso pode variar de loja para loja, no entanto, realizar compras em estabelecimentos antigos, já renomados no comércio, evita tais circunstâncias

d) Cartão vencido. Lembre-se de consultar a validade de seu cartão – impressa na parte frontal do mesmo – e solicitar uma segunda via antes do vencimento

e) Problemas de leitura das informações do seu cartão. Caso verifique que seu cartão foi amassado, riscado ou esteja apresentando sinais de envelhecimento, não hesite em solicitar uma segunda via para evitar futuros constrangimentos.

f) Senha inválida. Utilize senhas as quais tem familiaridade, a fim de evitar relapsos de memória e se esquecer da senha, lembrando que várias tentativas frustadas podem ocasionar bloqueio de seu cartão, obrigando-o a visitar pessoalmente uma agência para desbloqueá-lo.

g) Atraso no pagamento da fatura. Pague sua fatura no dia do vencimento, ou com no máximo menos de uma semana de atraso, caso contrário, este pode ser bloqueado para compras.

h) Suspeita de fraude ou uso indevido por terceiros. Compras on-line, em especial em sites pouco conhecidos, ou várias tentativas de compra em uma mesma loja online, ou ainda a utilização demasiada, fora do comum para seu perfil, podem ocasionar bloqueios. Uma maneira saudável de evitar tal situação é possuir dois ou até três cartões, assim, na tentativa de uma compra mal sucedida, é melhor utilizar um segundo cartão do que tentar várias vezes a compra por um mesmo cartão, o que pode ocasionar um bloqueio.

13 – Posso realizar o cancelamento de uma compra realizada por engano?

O cartão de crédito é um meio de pagamento. Se você tiver qualquer problema com o que comprou na loja (por exemplo, o produto chegou quebrado ou não é o que você escolheu), deve preferencialmente resolver essa questão diretamente na loja, pois essa situação envolve a devolução do bem para o estabelecimento comercial. Assim, ele é o responsável por cancelar sua compra e devolver os valores que você já tenha pago. Do contrário, procure o emissor de seu cartão e sim, a devolução do dinheiro pago pelo produto pode ocorrer pela empresa emissora de seu cartão, atendendo critérios próprios de cada bandeira. Em alguns casos, por exemplo em suspeita de fraude, seu cartão, no processo de devolução do dinheiro, pode ocasionar o cancelamento do cartão e emissão de uma segunda via.

14 – Como posso proteger meu cartão de crédito?

Mantenha-o sempre em local seguro e nunca o perca de vista, inclusive nos momentos em que você estiver fazendo o pagamento de uma compra. Nunca se esqueça de pegar o cartão de volta quando terminar a compra e conferir se é mesmo o seu cartão que está sendo devolvido. Volte a guardá-lo em um lugar seguro. Seu cartão de crédito é pessoal e
intransferível. Nunca o empreste nem revele a sua senha. Não molhe, dobre ou amasse seu cartão nem o deixe perto de aparelhos eletrônicos, como televisão, celulares ou micro-ondas: isso pode estragar a parte magnética ou o chip do seu cartão.
Em caso de perda ou roubo do seu cartão, avise imediatamente a central de atendimento do emissor do cartão e peça uma 2ª via. Se não reconhecer algum lançamento em sua fatura, ligue imediatamente para a central de atendimento do emissor do cartão e relate o ocorrido.
Ao comprar com seu cartão pela internet ou telefone, certifique-se de que a empresa é idônea e o site é seguro

15 – Percebi que muito em relação à segurança de um cartão de crédito se refere ao local onde realizamos a compra, como reconhecer, por exemplo, que um site é seguro?

a) Veja se o site utiliza o protocolo https na barra de endereços. Geralmente aparece um ícone de cadeado na barra de endereço, especificando tal segurança. Clique 2 vezes no cadeado para que o certificado de segurança seja exibido.

b) Confira se o endereço da página que você está acessando é o mesmo do campo “emitido para” do certificado de segurança. Após a compra, imprima o comprovante ou as telas para utilizar como garantia do que foi combinado. Isso parece simples de identificar, no entanto, algumas pessoas contraem até mesmo vírus no computador quando, por exemplo, recebem um e-mail do seu banco dizendo, por exemplo “seu cartão foi clonado, clique aqui para desbloqueá-lo” e, ao passar o mouse sobre o link do desbloqueio, verifica-se um link falso, que confunde o usuário, como http: link.bancoitau.com.br, e não itau.com.br.

16 – Onde posso tirar minhas dúvidas em relação ao cartão de crédito, quem pode me ajudar neste sentido?

a) A central de atendimento telefônico do emissor do cartão pode resolver muitas dúvidas e dar informações importantes sobre o cartão, limite de crédito, faturas, contratos, renegociação de dívidas, atualização cadastral e registro de reclamações.

b) Caso conheça um consultor financeiro de confiança, também pode tirar dúvidas com o mesmo por meio de seus canais de atendimento, seja telefone, whats ou formulário de contato.

c) Sac do emissor de cartão: É um canal exclusivo do emissor do cartão para cancelamento de contrato, reclamações e informações sobre produtos e serviços específicos.

d) Ouvidoria: As ouvidorias atuam como canal de comunicação entre os bancos e seus clientes, inclusive na mediação de conflitos. Se a sua reclamação foi tratada pela central
de atendimento telefônico do emissor do cartão, mas a solução não foi satisfatória, a ouvidoria verificará a possibilidade de reexaminar a questão.

e) Internet: Os emissores oferecem uma série de serviços que podem ser solicitados por você
por meio da internet. Consulte o site do emissor do seu cartão para saber mais.

f) Agência bancária do emissor: Os funcionários das agências do banco emissor do cartão de crédito também podem auxiliar você.

17 – Como posso evitar cair nas armadilhas do cartão de crédito, em termos de pagamento de altos juros? quais são as estratégias mais eficientes neste ponto?

Como dito anteriormente, o problema principal não é o cartão em si, mas sim a forma em se lidar com ele. Conhecer as “regras do jogo” amplia a consciência neste ponto e minimiza as chances de se tornar um refém dele. Autoconhecimento e disciplina emocional contribuem e muito, mas são tópicos para outras postagens, veja o resumo:

a) Planeje suas compras e faça as contas para saber se o valor cabe no seu bolso.
Em caso de compras parceladas, lembre-se de que você terá um valor do orçamento já comprometido ao longo de alguns meses.

b) Pague o valor integral da fatura do cartão de crédito na data do vencimento. Estabeleça um limite real de despesas e siga rigorosamente essa meta.

c) Só use o pagamento mínimo em uma emergência, quando, por exemplo, você gastou a mais e não tem alternativa para financiar a dívida.

d) Escape dos juros para não entrar numa bola de neve. Se precisar, procure alternativas de financiamento com juros mais baixos que os do cartão.

e) Cuidado para não fazer compras de pequenos valores sem se dar conta de que, quando elas são somadas, o gasto se torna expressivo.

f) Não use o cartão como se fosse um complemento da renda ou um segundo salário, em última análise é um dinheiro que não é seu, é um tipo de empréstimo.

18 – Como sair das dívidas atreladas a um cartão de crédito?

Assim que perceber que terá problemas para continuar pagando uma dívida, procure imediatamente o emissor do seu cartão e informe a sua situação. Em geral, os bancos aceitam a contratação de um CDC ou Consignado para o pagamento de uma fatura que extrapole o orçamento de uma família. Um exemplo dado por  Tiago Nigro, é o caso onde você esteja devendo 500 reais no crédito rotativo, conhecido por cheque especial (poderia ser cartão de crédito com taxas ainda maiores). No mês de maio nós tínhamos uma taxa no crédito rotativo de 12,52% ao mês. Isso significa que, em um ano, a nossa dívida de 500 reais pularia para R$2.059,33 e, em 5 a nossa dívida alcançaria R$592.588,77.

Agora, vamos supor outro cenário: imagine que, assim que você passou a dever 500 reais no crédito rotativo você, ao invés de deixar a dívida rolando, pegou um consignado com um banco pela taxa de 2,53% ao mês. A sua dívida de 500 reais, em 1 ano, se tornaria uma dívida de R$674,81, e, em 5 anos, se tornaria uma dívida de R$2.238,86.

19 – Há como pagar boleto utilizando o cartão de crédito?

A resposta é sim, Há 3 formas possíveis de pagar um boleto usando o cartão:

Internet banking;
1 – Acesse sua conta pelo internet banking, Procure pela opção “Pagamento”, Digite o código de barras do boleto, Escolha a opção de pagamento “Cartão de Crédito”, Autorize o pagamento com a sua senha.
2 – Aplicativo dos bancos;
3 – Telefone (central de atendimento)

20 – Sabendo que uma das maiores despesas do cartão de crédito é a anuidade, como obter um cartão de crédito onde não há necessidade de pagamento da anuidade?

Um cartão que vem se tornando bem popular no Brasil onde há isenção da anuidade, desde que haja consumo mínimo de R$100,00 na fatura mensal – o que digamos é um valor pequeno – é o cartão free do Santander. Não ganho nada para divulgar tal cartão ou banco, o digo somente como uma dica financeira de como economizar ou gastar menos com serviços bancários. Há boas alternativas entre os bancos digitais e cartões pré-pagos, estes últimos não cobram anuidade, no entanto, cobram tarifas por saque, enfim, cada qual deve pesar os motivos da escolha do cartão, sua finalidade optar pela melhor opção.

Espero que tenha gostado destas dicas financeiras e tenha um 2020 repleto de ricas experiências!

porFernando Pinheiro

Como sair das dívidas

Por esse pequeno tutorial, saiba como sair das dívidas de maneira organizada e sem estresse. Conheça alternativas de quitar dívidas com até 90% de desconto!

Fazer dívidas é algo normal para qualquer pessoa que esteja economicamente ativa, trabalhando, até porque, de maneira ideal, que seria pagar todos os itens à vista, seja qual for o tamanho do bem ou serviço a adquirir, é uma proeza de poucos, dada a destreza emocional, inteligência matemática para mensurar os custos de cada conquista e paciência para aguardar o momento da aquisição.

Descartando a bela porém remota hipótese para a maioria dos brasileiros de adquirir à vista os objetos e experiências de consumo, a maneira mais inteligente de sair das dívidas, ao meu ver, é:

1 – reconhecer o erro, isto é conscientizar-se das más escolhas

2 – tomar decisões para minimizar ou estancar os custos a fim de não aumentar o prejuízo

3 – energicamente, procurar alternativas para ganhar mais ou pagar/sanar as dívidas o mais rápido possível a fim de abrir espaço para retomada da qualidade de vida, a fim de não prejudicar o orçamento familiar ou da empresa.

Quanto ao primeiro quesito, vamos dar um print em uma notícia que reflete um quadro ruim da população brasileira e que, infelizmente, não tem trazido resultados satisfatórios nos últimos anos:

Embora na reportagem afirme que 40% dos adultos estão inadimplentes, perceba que os adultos, por si só, não estão economicamente ativos, uma vez que apenas crescer não significa emprego garantido, segundo o IBGE (2018) e IPEA Data, são aproximadamente R$100.000.000 (cem milhões) de brasileiros economicamente ativos, já considerando aqueles com e sem carteira assinada, isto é, trabalhadores formais e não formais, desta forma, este número demonstra que contamos com mais de 60% dos trabalhadores inadimplentes! é um número realmente alto.

Portanto, se você está endividado, não está sozinho, basta pensar e tomar atitudes diferentes, para mudar o rumo, assim, chegamos no segundo tópico que trata sobre minimizar ou estancar os custos, lembrando que esta medida está totalmente ao seu alcance, não necessitando uma autorização especial de alguém.

Para esse passo, torna-se essencial ter em mãos uma planilha de orçamento doméstico, a fim de saber exatamente onde se gasta, quanto se gasta, quanto se ganha e como estas rendas entram no seu orçamento. Para isso, montei gratuitamente uma planilha, a qual você pode conferir online ou fazer o download em seu computador. Esta planilha está hospedada no Google e, para fazer download dela, ao acessá-la, basta clicar no menu arquivo, download: http://bit.ly/2rnHgBO.

Por último, de forma simplificada, em relação ao 3º passo de como sair das dívidas, já sabendo que quando uma pessoa está endividada, geralmente seu maior problema se trata de produtos bancários como financiamentos, leasing, empréstimos diversos, CDC, o melhor a se fazer é conversar com o gerente do banco, o qual tem autonomia de juntar todos os contratos, por exemplo, no caso de mais de um tipo de produto bancário e colocar em um só. Este pode também estender a dívida, a qual certamente irá sair mais caro para a pessoa, no longo prazo, no entanto, alivia no curto prazo, dando folga para o orçamento, enfim, neste ponto a própria família deve pesar a melhor alternativa, que cabe no bolso.

Outra alternativa é participar de feirões, online ou presenciais, para quitação de contas para aqueles que já estão inadimplentes, como aqueles promovidos pelo consumidorpositivo.com.br ou outra agência do gênero, como o Serasa Consumidor.

Espero que tenha ajudado,

Até mais.

porFernando Pinheiro

Como lidar com cartão de crédito

Veja dicas preciosas de como lidar com cartão de crédito, mesmo em épocas de crise

Há muitos anos atrás acreditava que o cartão de crédito era um dos principais vilões dos bancos, depois de muito abusar do crédito e ver o efeito catastrófico que seu abuso proporciona para as finanças, cheguei a ficar anos sem usar. No Brasil os juros de cartão de crédito giram na casa de 300% a.a., alguns casos até mais, e você pode confirmar esta quantia na própria fatura do cartão, em letras pequenas. Nos Estados Unidos, em viagem recente, conferi que os juros gravitam em torno de apenas 35% a.a, isto é, no Brasil, os juros são em média  9 vezes mais caro!

Não é de se espantar que tenha vários conhecidos que afirmam não utilizar cartão crédito. Uma pena. Sem cartão dificilmente você consegue comprar uma passagem de avião, locar um carro, pagar mais barato por produtos comprados via Internet, uma vez que nestes produtos não estão inclusos o aluguel da loja de exposição do produto nem a comissão do vendedor.

Portanto, nos resta a pergunta: como conciliar o aspecto obscuro dos juros abusivos do cartão com o lado brilhante da qualidade de consumo e portanto da qualidade de vida que o cartão propicia?

Uma das respostas mais claras e diretas quanto a isso é simples, mas difícil de conseguir: pagar a fatura de forma total ou pelo menos 70% do total mês a mês. Quando se abusa do cartão o melhor a fazer é desfazer-se dele, ainda que temporariamente, até quitar a fatura ou guardá-lo longe da carteira.

Uma das formas de nos educarmos quando estouramos o limite do cartão é fazer uma espécie de “regime de crédito”, passando alguns meses sem a sua utilização, portanto, tendo flexibilidade no orçamento doméstico pagando os itens à vista e deixando viagens, roupas novas e outros produtos para um futuro, quando o orçamento estiver em dia.

Lembrando: o cartão não é o vilão, mas sim a forma que encaramos o crédito, é uma faca de dois gumes, utilizada de forma correta é uma benção, mas erroneamente pode machucar nossa vida financeira por um bom tempo, o consumo consciente é a melhor solução.
Encontrei em um site de educação financeira um vídeo que fala exatamente sobre isso, sobre o perigo de usar sem consciência o cartão, acarretando o efeito “bola de neve”, devido ao efeito dos juros do cartão:


Até mais.