Arquivo de tag economizar dinheiro

porFernando Pinheiro

Educação Financeira: conheça o tripé que a sustenta

Nesta matéria irei elencar o que poderia ser chamado de O Tripé da Educação Financeira, mostrando o que cada uma significa e como estas estão entrelaçadas entre si.

A questão de economizar foi amplamente discutida neste blog, esta pode ser verificada aqui, aqui e aqui.

Para enfatizar, é bom lembrar que, sem nenhum tipo de poupança, ficamos literalmente reféns de situações indesejadas como não poder pagar as contas, realizar uma comemoração, satisfazer pequenos mimos quiçá realizar sonhos, portanto, este fator é imprescindível e compõe uma das pontas do tripé.

Portanto, economizar, além de um comportamento sábio, evita frustrações e incômodos.

Outro fator é investir, pois somente guardar dinheiro, ainda que seja algo nobre e prudente, pode ser sinal de ignorância, uma vez que, dependendo de onde se guarda as reservas elas se deterioram, pois o fator da inflação corrói o poder de compra do indivíduo, sendo este obrigado a colocar suas reservas em investimentos que tendem a superar a inflação, como ações, fundos imobiliários e títulos públicos com juros semestrais.

Outra ponta do tripé é o fator gastar, pois, mesmo que haja pessoas advertindo para não gastar, isto jamais ocorrerá na Terra, uma vez que, assim como uma moto ou carro precisa de manutenção, as quais envolvem custos, também o corpo, para satisfação de suas necessidades básicas – ainda que o básico seja diferente de pessoa para pessoa – precisa, invariavelmente gastar. Agora, gastar com sabedoria, cujos desejos e satisfações poderão te levar a experiências enriquecedoras, juntamente com quem ama ou mais precisa, dá outro norte ao fator gastar, deixando-o nobre e expansivo.

Podemos colocar a imagem, em vez de um tripé, um ciclo, onde aqueles que conseguem viver abaixo de suas rendas, conseguem, ao mesmo tempo que gastam, investir. Ora, como uma pessoa conseguirá gastar sem ter renda ou uma renda que não consiga suprir suas necessidades? Há indivíduos que, ainda que haja mecanismos legais que suprimem a possibilidade de alguém gastar mais que 30% de sua renda, conforme verificamos nesta lei:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/L1046.htm, cujo artigo 21 é expresso: “A soma das consignações não excederá de 30% (trinta por cento) do vencimento, remuneração, salário, provento, subsídio, pensão, montepio, meio-sôldo, e gratificação adicional por tempo de serviço.”

Ocorre que, boa parte dos brasileiros se endivida acima deste teto, com a somatória dos cartões de crédito e outros produtos financeiros.

Desta forma, economizar, gastar e investir se torna, portanto, um ciclo para poucos, um ciclo virtuoso.

Mas como fazer com que o tripé economizar, gastar e investir se torne realidade?

Uma das melhores maneiras para tal é o investimento na Educação, em especial na Educação Financeira, como um remédio de longo prazo. Há quem diga que o fator investimento se torna uma realidade, de verdade, para aqueles que tem renda acima de R$10.000,00 e não sou contra tal ideia, uma vez que com rendas inferiores a pessoa pode e deve testar investimentos, até onde consiga se aproximar deles, mas não verá muitos resultados enquanto não conseguir rendas superiores, uma vez que é notório que o rendimento dos investimentos seja proporcional ao volume do capital investido.

Conclusão

O tripé, que poderia ser chamado também de ciclo economizar, investir e gastar, é, na verdade um ciclo de prosperidade, que está restrito aqueles que tem educação financeira. O tripé não é uma resposta definitiva para uma vida abundante, até porque, como foi visto, a renda do indivíduo interfere principalmente no quesito investir o qual é tem relação direta em seus investimentos, podendo se mostrar com altos rendimentos ou até mesmo nulos.

 

porFernando Pinheiro

Você é frugal? 18 coisas que pessoas frugais fazem

Ser “pão duro” ou “mão de vaca” é diferente de ser frugal, a pessoa frugal consome com intenção e razão, em vez de optar por comprar por impulso e por modismos ou costumes, veja abaixo 18 coisas que, sendo frugal, há muitas chances de você ter feito ou que ainda irá fazer

Muitas pessoas optam por ser frugal por diferentes razões. Talvez eles tenham sido criados para viver uma vida frugal, por isso é uma segunda natureza para eles. Talvez sejam conscientemente frugais e estejam economizando para pagar em dinheiro por uma casa, ou tenham um filho prestes a ir para a faculdade. Talvez eles simplesmente não vejam nenhum outro motivo para ser nada frugal.

Seja qual for o motivo, as pessoas frugal têm essas coisas em comum, todos sabem que cada centavo conta e sabem para onde estão indo todos os centavos. Então, como você é frugal? Pronto para descobrir?

Leia a lista abaixo e veja quantas coisas econômicas você já está fazendo ou que novas maneiras de adicionar ao seu estilo de vida já econômico.

 

1 – Você corta contas sempre que possível. Nem todas as contas podem ser negociadas, mas as que podem, negociar. Ligue para o seu provedor de serviços a cabo e faça com que eles abaixem sua conta ou, melhor ainda, mude para a Netflix. Se você usar seu telefone celular quase exclusivamente, deixe o telefone fixo. Ligue e veja quais planos existem para o seu telefone celular e pergunte se você consegue um acordo melhor. Alguns minutos no telefone com um agente útil podem economizar seu dinheiro. Existe algo que você possa fazer com o seu seguro de carro para reduzir essa conta?

2 – Você planeja refeições e come em casa. Apesar de pegar algo rápido enquanto você está fazendo recados, as pessoas frugais comem antes de sair de casa. Eles também planejam suas refeições, fazem compras em seu plano de refeições e depois comem em casa. Ceder à tentação não é algo que eles costumam fazer quando se trata de dinheiro. Em vez de ir para o fast food, mantenha um recipiente de lanches no carro que possa acalmar os famintos até você voltar para casa.

3 – Você procura ofertas e usa cupons. Na maioria das vezes, as lojas em que você compra têm cupons e códigos de desconto aguardando para serem usados. Adquira o hábito de comprar apenas itens que você possui cupons e que estão à venda. Depois de guardar a despensa com grampos, compre os folhetos de vendas e acompanhe suas economias. Sempre verifique seus recibos quanto a erros.

4 – Você come sobras. Para algumas pessoas, as sobras estão fora do radar. Mas esta é uma dica simples, mas importante, para manter seu orçamento de alimentos sob controle. Crie novas refeições com alimentos já preparados – um assado restante pode ser triturado e transformado em sanduíches de churrasco. As fatias frias de pizza podem ser atualizadas com queijo ralado e outras coberturas, colocadas no forno por alguns minutos, e elas parecem novas. As pessoas frugais costumam fazer comida suficiente para fazer duas refeições em uma. Comer sobras economizará tempo e dinheiro.

5 – Você não se importa de comprar coisas usadas. Torna-se fácil comprar itens usados ​​quando você percebe quanta marcação é adicionada a itens novos. Conheça as pessoas que trabalham no brechó local e informe o que você está procurando. Use roupas velhas de maneira criativa – adicione tecido ou renda a um par de calças ou troque os botões datados para usar na moda em um cardigã vintage. Quando você olha para a quantidade de dinheiro que economizou, o fato de o item ser usado não é mais importante.

6 – Você se lembra do ditado,  “ veja um centavo, pegue-o; o dia todo, você terá boa sorte. ”Pessoas frugais fazem. Lembre-se,  cada centavo conta. Não jogue esses cobres – coloque-os em uma jarra e economize para um tratamento especial. Mesmo economizando alguns dólares extras por mês com o que você economizou ao baixar a conta telefônica, isso aumenta.

7 – Você compra por necessidade, não por hobby. Não há uma recompensa de longo prazo nas compras apenas para gastar dinheiro; no entanto, há uma recompensa de longo prazo quando se trata de economizar dinheiro. Encontrar um hobby que seja barato ou gratuito é fácil se você estiver aberto às possibilidades.

8 – Você troca serviços com amigos. Talvez você possa trocar serviços de babá para poder fazer compras sozinho ou sair com seu marido durante a noite. Os serviços de negociação são gratuitos e gratificantes ao mesmo tempo. Você está ajudando os outros enquanto economiza dinheiro.

9 – Você leva seu almoço para o trabalho. Você ficará surpreso com a quantidade de dinheiro que economiza trazendo o almoço de casa. Aprenda a dizer não aos pedidos de almoço no trabalho. Se o seu raciocínio para comer fora todos os dias tem a ver com fugir do escritório, leve o seu almoço caseiro e vá para o parque local. Ter uma mudança de cenário é gratuito. Você pode economizar centenas de dólares por ano apenas seguindo esta dica.no pagamento automático.

10 – Você cria uma lista de compras e compra apenas o que está na sua lista. Tornar-se mais intencional com o seu dinheiro é mais fácil quando você compra apenas o que está na sua lista. Comprar apenas o que está na sua lista é desafiador no começo, mas depois de algumas vezes esquecendo itens, você se sentirá mais intencional com a elaboração da lista (uma observação: se você encontrar um acordo de estoque para um item que você usa regularmente , aproveite essa oferta).

11 – Você sabe que tempo é dinheiro. Pagar por um serviço em vez de fazer você mesmo às vezes é mais econômico. As pessoas são hábeis em diferentes áreas. Se essa torneira com vazamento agora é uma cachoeira imparável, é hora de ligar para o encanador.

 

12 – Você compra a granel quando o preço unitário é mais caro. Verificar o preço unitário é sempre uma boa ideia. O contêiner de menor tamanho não é exatamente onde você sempre obtém o melhor retorno possível. Alguns itens são muito mais baratos para comprar a granel. Um bom exemplo são os produtos de papel.

13 – Você conserta as coisas. Fazer uma pequena pesquisa sobre reparo x substituição pode economizar muito dinheiro. Mais uma vez, substitua a peça de borracha, não a torneira inteira, é muito mais barata. Um cortador de grama antigo pode durar muitos anos trocando as velas e os filtros. Explore as opções de reparo antes de comprar um substituto.

14 – Você encontra maneiras de se divertir em casa, em vez de sair todo fim de semana. Alugar um filme e assisti-lo em casa, em vez de levar toda a família ao cinema, economizará muito dinheiro. Encontrar maneiras de se divertir em casa é uma ótima maneira de ser frugal.

15 – Você não é casado com marcas. Depois de comparar ingredientes, geralmente a marca da loja tem os mesmos ingredientes que uma marca principal. Pessoas frugais estão dispostas a experimentar a marca da loja. Se um produto é usado como ingrediente em um item cozido, você pode nem provar a diferença.

16 – Você está sempre procurando maneiras de ser ainda mais econômico. Pessoas frugais estão sempre ouvindo e tentando coisas novas, desafiando-se a economizar ainda mais. A busca pela economia é tão emocionante quanto a própria economia!

17 – Você não compra coisas para impressionar as pessoas. Dave Ramsey tem um ditado: “Nós compramos coisas que não precisamos com dinheiro, não temos que impressionar as pessoas que não gostamos”. 

18 – Você transforma itens indesejados / não utilizados em dinheiro. Decluttering é uma mina de ouro, quando você transforma seus itens indesejados em dinheiro. E hoje em dia estar prestes a vender on-line é muito mais fácil do que realizar uma venda de quintal. Venda no, eBay, Mercado Livre ou OLX.

19 – Você planeja o futuro e estabelece metas que podem ser obtidas. Pessoas frugais estão sempre trabalhando em direção a objetivos específicos. Eles sabem onde planejam estar em cinco anos. Crie um plano de cinco anos e divida-o em etapas possíveis. Você consegue fazer isso!

E a lista não para, seja criativo e aumente esta lista em suas escolhas de consumo consciente, compartilhe conosco o que tem feito neste sentido!

porFernando Pinheiro

15 dicas de como economizar dinheiro

Neste artigo elencamos 15 dias de como economizar dinheiro e, como bônus, trazemos em anexo uma cartilha do Procon de São Paulo com dicas de como economizar com água, luz e supermercado, por meio de elaboração de um orçamento doméstico, aproveite.

Todos nós temos boas intenções quando se trata de economizar dinheiro, certo? Dizemos a nós mesmos que começaremos a economizar assim que atingirmos um determinado marco, como quando atingimos uma idade específica, recebemos um aumento ou quando Jimmy (finalmente) sai do porão.

Mas, na realidade, você só começará a economizar dinheiro quando desenvolver hábitos de dinheiro saudáveis ??e suas necessidades futuras se tornarem mais importantes do que os seus desejos atuais . Muitas vezes, nosso objetivo de economizar dinheiro não é uma prioridade grande o suficiente para atrasar a compra desse novo smartphone, mesa da cozinha ou TV. Portanto, gastamos nossos dólares fora – ou pior – contraímos dívidas para alimentar nosso último ataque de “quero-isso”.
Essa dívida se transforma em pagamentos mensais que controlam nossos contracheques – e nossas vidas.

Parece esmagador, certo? Não precisa ser assim. Com alguns ajustes nas suas prioridades de gastos, você estará no caminho mais rápido para economizar dinheiro em pouco tempo.

Confira nossas 15 dicas para economizar dinheiro:

1. Diga adeus à dívida.
Os pagamentos mensais da dívida são o maior obstáculo para economizar dinheiro. Dívida rouba sua renda! Então é hora de você se livrar dessa dívida. Portanto, antes de querer investir, se concentre em pagar as dívidas, até porque, sem a pagar, os juros dos investimentos podem não cobrir os juros das dívidas certo?. É aqui que você paga suas dívidas, da menor para a maior. Parece meio intenso, certo? Não se preocupe, é mais uma mudança de comportamento do que números.
Depois que sua renda é liberada, você pode finalmente usá-la para progredir em direção às suas metas de economia.

2. Reduzir as compras.
A maioria das pessoas – depois de fazer um orçamento – fica chocada ao descobrir quanto está gastando na mercearia todos os meses. Se você faz parte de uma família comum, pode estar gastando em média R$600,00 por mês com mercearia ou mercado. É fácil caminhar por esses corredores, pegando um saco de bolacha, pães, doces, frutas, comida para os cães ou gatos, e depois ainda com os presentes divertidos no caixa. Mas essas pequenas compras
aumentam bastante e acabam exagerando no orçamento todos os meses.

Economize em mantimentos planejando suas refeições todas as semanas e dando uma boa olhada no que você já tem em sua despensa antes de ir para a loja. Porque por que você quer comprar mais do que você já tem? Você também pode deixar as crianças em casa para ficar mais perto da sua lista.

3. Cancele assinaturas e associações automáticas desnecessárias.
Provavelmente, você está pagando por várias assinaturas, como Netflix, Hulu, Spotify, associações de ginástica, caixas de assinatura modernas e Amazon Prime. É hora de cancelar as assinaturas que você não usa regularmente. E certifique-se de desativar a “renovação automática” ao fazer uma compra.  Se você cancelá-lo e decidir que não pode ficar sem ele, assine novamente, mas apenas se ele se encaixar no seu novo (e aprimorado) orçamento.

Considere o compartilhamento de associação com alguns familiares ou amigos nas assinaturas que você deseja manter por perto. Muitos serviços de streaming, como Netflix e Hulu, permitem assistir a seus programas favoritos em duas ou mais telas (com uma conta atualizada). Dessa forma, todo mundo ganha – e salva!

4. Compre genérico.
Na maioria dos casos, a única coisa melhor nos produtos de marca é o marketing. Quero dizer, olhe para essa caixa! Marcas genéricas de remédios,
alimentos básicos (como arroz e feijão), material de limpeza e produtos de papel custam muito menos do que seus nomes de marca e amigos marcados –
e eles funcionam tão bem quanto.

5. Corte os laços com o cabo.
Não é segredo que os preços do cabo continuam subindo. O preço médio mensal da TV a cabo é de cerca de R$100,00 por mês – o que representa mais de R$1.200,00 por ano! 2 Aqui estão as boas notícias: o cabo não é a única maneira de assistir aos seus programas favoritos atualmente. Corte o cabo e descubra como economizar muito com alternativas ao cabo, como aplicativos de rede e serviços de streaming.

6. Economize dinheiro automaticamente.
Você sabia que pode economizar dinheiro sem pensar nisso? Sim – você pode configurar sua conta bancária para transferir automaticamente fundos da sua conta corrente para uma conta poupança todos os meses. Se isso lhe parecer assustador, você também pode configurar seu depósito direto para transferir  automaticamente 10% de cada salário para sua conta poupança. Muito bom, certo?

7. Gaste renda extra ou inesperada com sabedoria.
Quando você receber um bom bônus de trabalho (caminho a percorrer!), Herança ou reembolso de impostos, faça bom uso. E quando dizemos “bom uso”, não estamos falando em adicionar esse novo selo sofisticado à sua coleção de selos ou mesmo em colocá-lo no banco.

Se você ainda tem dívidas em sua vida, será melhor usar esses fundos para pagar seus empréstimos e financiamentos ou o saldo do seu cartão de crédito, em vez de guardar esse dinheiro. Se você não tem dívidas, use esse dinheiro extra para criar seu fundo de emergência – você sabe, para emergências.

8. Reduza os custos de energia.
Você sabia que pode economizar na sua conta de energia elétrica apenas fazendo alguns ajustes na sua casa? Comece com algumas coisas simples, como tomar banhos mais curtos (não, não dissemos menos), consertar tubos com vazamentos, lavar suas roupas em água fria da torneira e instalar interruptores mais escuros
e lâmpadas LED.

Embora os aparelhos novos e com baixo consumo de energia sejam uma ótima maneira de economizar dinheiro em sua conta de energia elétrica , eles são caros! Mas, se você trabalhar no seu orçamento mensal, poderá pagar em dinheiro por essas pequenas melhorias.

9. Coma menos fora.
Em especial no Brasil, país tropical as pessoas tendem a sair mais de casa e, gastar cada vez que sai, opte por se alimentar antes de sair de casa, tomar um café, almoçar ou algo do gênero, pois o valor de uma prestação de carro pode ficar nos bares e restaurantes se gastar toda vez que sair

10. Pedir emprestado – não compre.
Precisa de um aparador de árvores para um trabalho no quintal de um fim de semana ou de um liquidificador portátil para fazer um lote de sopa? Peça emprestado a um amigo ou vizinho, em vez de fazer uma visita à loja.

11. Leve o almoço com você.
Uma alternativa para conseguir comer menos fora é levar a refeição conosco, em especial se o horário de almoço, no trabalho por curto. Comprar o almoço algumas vezes por semana pode parecer inofensivo no momento (especialmente quando o seu restaurante favorito fica a uma curta distância do escritório), mas você pode economizar bastante dinheiro apenas fazendo um lanche!

Além disso, você pode comprar mantimentos de uma semana pelo mesmo preço de duas refeições. Em vez disso, prepare sua comida em casa e observe suas economias  se acumularem, mês a mês.

12. Pergunte sobre descontos (e pague em dinheiro).
Você nunca sabe até pedir – e sempre deve perguntar. Da próxima vez que você comprar ingressos em um cinema, museu ou evento esportivo, verifique se eles têm descontos especiais para idosos, estudantes, professores, militares doadores de sangue etc. Caso contrário, nunca subestime o poder de negociação do dinheiro!

13. Aproveite para abrir uma conta em corretora.
É gratuito abrir uma conta em uma corretora e, suas economias, em vez de guardadas debaixo do colchão ou na conta poupança, terá muito mais chances de render numa corretora, já que oferece portfólio de investimentos mais amplos, a partir de meros R$50,00

14. Abaixe sua conta de telefone celular.
Se a sua fatura mensal de celular concorrer com o seu orçamento mensal de supermercado, é hora de encontrar maneiras de reduzir. Economize dinheiro no seu serviço celular, livrando-se de extras como planos de dados caros, seguro por telefone e garantias desnecessárias. E não tenha medo de pechinchar ou mudar  completamente de provedor! Pode exigir um pouco de persistência e pesquisa, mas as economias valem a pena.

15. Tente um congelamento de gastos.
Não compre itens não essenciais por uma semana ou até um mês! Pense nisso como um desafio de contentamento . Enquanto você faz isso, faça um inventário do que agradece a cada dia. Isso deve ajudar a chutar seus “desejos” nas calças!

Como bônus, segue um “guia de economia e orçamento doméstico, realizado pelo Procon de São Paulo

Faça o download do guia neste link.

 

porFernando Pinheiro

Buffettology: o método Warren Buffet de investir, parte 01

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.


Este livro foi escrito por uma das esposas de um dos filhos de Warren Buffett – Mary Buffet a qual a firma que logo nos primeiros anos de casamento com um de seus filhos já descobrira os segredos de investimentos do maior ícone do mundo da bolsa do mundo, no entanto, fez voto de silêncio, ao menos durante o tempo em que estivesse casada com o moço.

Após o casamento, que parece ter durado 7 anos, ela, em parceria com uma pessoa a qual é bom de cálculos, resolveram publicar a metodologia dele, a qual será elencada resumidamente nos seguintes parágrafos:

 – Ele não se interessa pela média, como a Standard and Poor’s relata mas é um intensivo explorador das empresas individuais a qual investe

 – Procura investir nos tipos de empresa cujos produtos pode entender seja por sua sazonalidade, tipo de mercado etc..( não gosta de investir em empresas as quais apresentam sazonalidade, como companhias aéreas que faturam mais em épocas de férias

 – Em vez de “ficar atirando para todo lado” Warren se concentra em poucas empresas e se torna especialista naquele tipo de negócio/área

 – Procura comprar ações de empresas que detém certo monopólio de mercado por isso é um dos maiores detentores de coca-cola (bebidas/refrigerantes)

 – O melhor tempo para vender as ações é nunca, uma vez que o foco dele é o retorno anual da empresa, numa perspectiva ao menos de 10 anos para frente..

 – O livro mostra que Warren tem uma visão de longo prazo para com a empresa como se realmente fosse – e é/torna – dono da empresa, diferentemente dos técnicos ou maioria dos investidores de Wall Street que preferem atuar no curto prazo…

Curiosamente e com razão, Warren não paga dividendos, uma empresa com mais de 70 anos de idade a Berkshire Hathaway –  BRK-A, a qual pode ser comprado por qualquer home broker de corretora americana, cuja cotação está na casa de $215,00 (julho/2019) recebe em média 20% de valorização todos os anos – há mais de 32 anos – , seus dividendos são gigantescos, apresenta dívida mínima, no entanto não deposita participação para seus acionistas, uma vez que, entre os motivos citados no livro, afirma que a pessoa física individual pagaria, em média 15% de imposto sobre o recebimento, bem como iria diluir seu capital investindo em empresas as quais não remunerariam tão bem quanto Buffett, então ele prefere, como presidente da empresa, reinvestir os dividendos, garantindo, por este modo, a valorização do Ticker.

Em um momento do livro Mary afirma que são três variáveis as quais Warren procura em suas ações:

1 – annual profit, isto é, os dividendos mais somatórios de juros sobre capital bem como eventuais proventos, tal pode ser vistos nos sites de análises como payout anual

2 – Previsão de rentabilidade, este índice pode ser analisado com o fluxo de caixa da empresa, histórico de lucros, e endividamento, o que torna possível sim, prever se continuará lucrativa ou não.

3 – Preço da ação.

A autora faz algumas simulações para exemplificação a fim de demonstrar como o preço determina/influencia sobremodo a compra ou venda do ativo. Afirma que quanto menor o preço do ativo – share – maior o retorno e quanto maior o preço do ativo, menor o retorno, isso quando falamos sobre aquelas empresas que pagam dividendos. Há casos de empresas as quais não pagam dividendos, mas que, em contra partida, espera-se um crescimento exponencial no futuro, compensando o investidor no caso da venda do ativo. 

De maneira sábia Mary afirma que o investidor consciente compra ações baseado em uma perspectiva de negócio, assim como quando ocorrem fusões de uma empresa com a outra, a parte que compra uma empresa procura um aumento de sua renda anual com o faturamento desta empresa incorporada, diferentemente daqueles investidores que compram por pura especulação, a qual faz com que estas mesmas pessoas comprem por esperança. a existência da especulação no mercado explica os diferentes preços de ações, às vezes baixo, por frustrações ou baixas perspectivas, às veze alto demais por esperanças demasiadas ou inflações artificiais.

Assim como os gerentes de contas bancárias ganham na venda de produtos bancários, quanto mais altos os produtos a serem vendidos a seus clientes melhor, assim os gerentes o responsáveis das corretoras também procuram “vender” os produtos de corretora para os pequenos e grandes investidores, pois assim ganham em comissões.

No entanto, o foco do investidor não deve ser movimentar em comprar e vender freneticamente seus ativos, mas simplesmente saber o que comprar e pagar o preço. O próximo passo é receber as gratificações a nível anual.

A autora comenta que, se tivéssemos colocado 500 dólares na Berkshire a 32 anos atrás, hoje teríamos mais de 100 mil dólares, logicamente este cheque não iria chegar em sua porta, nem mesmo o imposto seria cobrado do investidor, caso permanecesse este investimento com a Berkshire. O imposto é cobrado imediatamente, assim que “sacado” o dinheiro da corretora.

A autora comenta algo o qual podemos ver os efeitos “catastróficos” do hábito de economizar anos a fio e perder a noção em deixar de usufruir um conforto merecido em torno de algumas centenas de dólares a mais:

Warren anda, mesmo após os 60 anos de idade em um carro relativamente velho na cidade de nascença e mora na mesma casa simples há mais de 40 anos…

Mary diz que na Washington PostGEICO, Warren conseguiu, por mais de quinze anos, rentabilidades de 15 a 20% ao ano, independente da troca de presidentes.

Algo bem interessante em termos de rendimento via payout ratios, onde o dividend yeld está presente é o que a Mary comenta no livro que, onde menor o preço a se pagar na ação, a tendência do rendimento será maior e o contrário também é verdadeiro, onde maior o preço a se pagar na ação, menor será o payout ao longo dos anos. Por exemplo, numa postagem do Guiainvest alguns dias atrás, houve um dado onde Warren, se não me falha a memória conseguiu 150% de rendimentos em uma determinada ação, isto porque, quando ele comprou aquela ação por alguns centavos, a mesma já pagava na casa de 10% de dividendos anuais, acontece que a precificação da empresa aumentou significativamente, lhe dando, 10 anos mais tarde 3 ou 4 reais de rendimentos anuais, o que significa, dentro do preço pago vários anos antes, um rendimento muito superior ao preço pago pela ação…

Algo muito interessante, divisor de águas para Warren, que determina se ele investe em uma determinada empresa ou não é o tipo de mercado ao qual esta está inserida. Há dois tipos de empresas a se investir neste cenário, as quais podem ser denominadas:

  1. Empresas de consumo: as empresas de consumo, como o próprio nome diz, são empresas as quais têm como foco o consumidor final, identificáveis como aquelas as quais apresentam muita concorrência no mercado, cujo fator determinante, na escolha do consumidor, será o preço. Também conhecidas como low costs (aviação?) as empresas com políticas de preços baixos, terão margens de lucros pequenas, terão de criar frequentemente novos produtos, alterar a forma de apresentação das marcas, modificar embalagens e, portanto investir em propaganda, a fim de manter um nível aceitável de vendas, o que resultará em uma remuneração por ação moderada ou modesta para o investidor. Warren evita tais empresas. Continua>>>
porFernando Pinheiro

Buffettology: o método Warren Buffet de investir, parte 02

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.

b) Empresas de monopólio: como o próprio nome diz, as empresas de monopólio, ao contrário das empresas tipicamente de consumo, não precisam brigar por clientes, apresentar preços competitivos, pois estas são únicas no mercado (Coca-Cola?). Alguns exemplos cujas empresas estão no portfólio atual de Warren são a Coca Cola e a Apple. No entanto, várias outras empresas norte americanas, por exemplo poderiam ser consideradas monopólios, por terem em suas carteiras uma grande fatia de mercado como o Bank o America, (BAC), a Google, Facebook, VISA, Mastercard, no Brasil podemos citar, COPEL empresa pública que monopoliza a entrega de energia elétrica, Sanepar, empresa que monopoliza a entrega de água entre outras. Dessa forma a rentabilidade anual dificilmente cairá, podendo este tipo de empresa continuar, com certa previsibilidade, altas taxas de payouts.

 Um dado interessante escrito por Mary é que o mestre de Warren Benjamin Graham, comentou certa vez um estudo realizado no qual uma empresa cresce à proporção que retém os lucros para si, subtraídos os lucros divididos aos acionistas por meio dos dividendos, por exemplo, se a empresa cresce a 12% ao ano, paga 8% de dividendos anuais aos acionistas, esta mesma empresa irá crescer, portanto, 4% ao ano; no entanto Warren, em seus estudos posteriores, percebeu que em sua grande maioria, as empresas não faziam, de fato este caminho, crescendo muito pouco ou somente mantinham seu status ao longo do tempo. Em outras palavras, os acionistas da maioria das empresas tinham dificuldade enorme de crescer, ampliar seu portfólio.

Nesta mesma linha, Warren evitava empresas as quais tinham ganhos esporádicos, focava nas empresas as quais tinham ganhos consistentes, ano após ano. Isto têm o lado positivo e negativo, cada pequeno investidor pode conhecer o seu perfil de investimentos ou o tipo de portfólio que deseja construir ou manter a fim de seguir ou não esta dica de Warren, por exemplo, investir em suas empresas Berkshire Hathaway, pode ser vantajoso para quem quer, a certo modo, aumento de capital, somente, uma vez que a empresa citada não distribui os dividendos, incorporando-a a si mesma, mas não tão vantajoso a um terceiro o qual quer construir uma renda passiva vitalícia, o que se dá por meio dos dividendos pagos das ações, para isso ele deve investir naquelas que distribuem o capital, independentemente do crescimento anual.

Uma das estratégias de negócio em si as quais o mestre dos investimentos usa para investir é procurar empresas as quais não necessita, de fato ampliar a carteira de produtos ou comprar mais máquinas para crescer, mas sim apenas expandir para novos territórios dado o core do negócio ser lucrativo em si ou visando o crescimento adquirindo novos negócios/concorrentes.

3 São os detalhes os quais fizeram Warren investir seu dinheiro em algumas empresas americanas e estrangeiras:

  1. empresas as quais são altamente lucrativas, com bom e permanente fluxo de caixa
  2. estas mesmas empresas as quais conseguem manter os lucros para si, em vez de distribuir profusamente gastar estes lucros
  3. empresas as quais, em seu modelo de negócio, não precisem gastar seus lucros para repor/manter seu produto ou serviço em funcionamento.

Corroborando argumentos já colocados nos tópicos acima, um dos tipos de empresa a investir o qual Warrent usaria, seria aquela onde os usuários usam e descartam rapidamente, devido a necessidade, tais como Gillete para homen ou absorvente para mulher, uma vez que, independentemente de crises, estações do ano ou outra sazonalidade, o fluxo de caixa permanece praticamente constante.

 A autora dá exemplo de como a concorrência, a briga entre preços destrói o pequeno investidor, ela disse que há alguns anos o preço de uma passagem aérea de oklahoma para Paris era de 1000 dólares e, embora nos últimos 30 anos os custos com combustível, mecânica, seguros, manutenção tenha aumentado 4x, o preço caiu para 500 dólares. Bom para o consumidor, terrível para o investidor.

Empresas as quais ficam na memória do consumidor, como Hershey’s chocolates https://www.marketwatch.com/investing/stock/hsy, Coca-Cola entre outros. A autora mostra que o portfólio do investidor tende a ser um reflexo das empresas que mais têm lucratividade no ramo em que atua, por exemplo uma farmácia têm que ter Doril, Dorflex, Gillete, Rexona, uma supermercado têm de possuir os produtos da Unilever e Proctor e Gamble.

Nesta linha de raciocínio, Warren investe nas empresas que têm grande marca à frente, uma vez que, por exemplo, a farmácia ou supermercado, caso deixe de vender os produtos das grandes marcas, entrará em falência, já a marca em si continuará tendo lucratividade, em função do trabalho realizado sobre seu branding.

Logo após esta explanação, a autora do livro relata sobre a questão do marketing, sobre campanhas de Televisão, shows e rádio como veículo para que as marcas venham a ser disputadas entre os clientes. Basicamente, a mídia é o campo de batalha entre as marcas, vencendo aquela que têm maior participação do mercado. Mary Buffett afirma que, no método Warren, ele investe consistentemente, em especial nas capitais, nos produtos de sua holding, dizendo que há, no momento da confecção do livro, aproximadamente 67 companhias de televisão a se explorar neste sentido.

Interessante que no livro a autora mostra uma das maiores empresas de Mídia no mundo,a Interpuplichttps://www.interpublic.com/, no site da empresa, assim como no livro, podemos verificar que a empresa é detentora de centenas de afiliadas espalhadas pelo mundo todo, em especial agências de marketing que desenvolvem campanhas de marketing digital, televisiva, entre outras, em termos de funcionários, é a maior do mundo, com 54000 empregados, cuja propriedade, Warren, conhecendo o potencial único deste tipo de ramo de serviço, adquiriu participação de 17%.

Outro tipo de negócio que Warren aplica, dada a sua baixa volatilidade, mesmo em épocas de crises, as quais, inclusive, geram dividendos para os detentores mesmo quando seus clientes estão “inadimplentes” são as bandeiras de cartão de crédito, como a American Express, https://www.marketwatch.com/investing/stock/axp, cujas ações estavam $100,00 (cem dólares) em 2018 e passaram a $120,00 (cento e vinte) dólares em 2019, um aumento de 20%!, além disso, este tipo de empresa não precisa pagar por altos salários a seus funcionários, pois exigem baixa formação técnica para tal, bem como, não necessitam de altos investimentos para manter e expandir a estrutura de recebimento/fluxo de caixa.

A autora comenta que, segundo a época de lançamento do livro, a melhor maneira de descobrir se era possível ou não investir em uma empresa, era descobrir seus relatórios anuais, balanços. A autora recomenda algumas medidas as quais estão desatualizadas outras nem tanto, por exemplo, recomenda ligar para as empresas solicitando gratuitamente os relatórios ou balanços anuais, bem como visualizar a revista Smart Money. Acontece que a revista foi incorporada há anos no site MarketWatch.com e, com rápida pesquisa no Google, se a empresa tiver ações disponíveis ao público, todas as informações de balanço poderão ser acessadas, devido à lei que obriga a divulgação para empresas de companhia aberta. No entanto, há empresas as quais fazem trade com suas ações, porém não são públicas, neste caso, ainda que consiga fazer uma ligação telefônica para tal empresa, ela não será obrigada a lhe fornecer qualquer tipo de informação quanto aos preços das ações, distribuição de dividendos e crescimento anual, por exemplo.

Dentro deste tema de pesquisa sobre qual ação investir a autora dá uma dica valiosa, em especial para aqueles que querem manter uma carteira dolarizada, isto é, com ativos em dólar, o que é interessante para quando o real estiver desvalorizado em relação ao dólar,a fim de deixar a carteira mais balanceada.

É conhecer a Value line Investment Survey,  a qual, na época, era uma revista que publicava periodicamente um estudo de 1700 empresas na Bolsa de Nova York, Nasdaq e outros bolsas americanas, juntas, estas empresas formavam mais de 95% de todas as transações do mercado financeiro americano. Interessante que esta revista está viva até hoje, mas não no formato impresso, como na época, mas sim no formato digital, por meio deste site: https://www.valueline.com/, como o próprio site afirma, é uma empresa que está ativa há mais de 80 anos, cobrindo com avaliações as empresas indicadas ao investimento. Apresentam-se como uma companhia independente, sem viés, cujos mais de 70 auditores e analistas não podem aplicar nas próprias ações que recomendam, segundo as melhores políticas de casa de investimento do mundo. Continua>>>

porFernando Pinheiro

Buffettology: o método Warren Buffet de investir, parte 03

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.

[…] No site acima, pode-se listar as empresas e verificar dados técnicos das mesmas, bem como relatórios personalizados uma a uma com comentário de analistas.

Um caso curioso é que, ainda mais se tratando de análise de empresas, se “puxarmos” qualquer relatório das 10 mais lucrativas empresas do planeta, em termos de valor, a Microsoft certamente irá figurar entre elas.

Particularmente, Warren afirma categoricamente que admira a empresa, em especial seu CEO, Bill Gates, o qual têm afinidade e inclusive amizade, no entanto, como este trabalha em uma área a qual Warren não têm conhecimento que é a informática, diga-se de passagem que Warren até hoje não utiliza computador e ganhou toda a sua fortuna sem o uso deste, portanto, por desconhecimento do ramo, não investe em tal empresa, por não conseguir fazer projeções de lucratividade da mesma.

Atualmente qualquer indivíduo com o uso da Internet pode, em alguns minutos, verificar praticamente todas as informações financeiras das empresas as quais pretende investir, alguns autores afirmam inclusive que esta é a parte mais fácil do processo de investimento, a parte mais difícil, é a de viver com menos do que se ganha e procurar aumentar a renda ou torná-la escalável.

Ela comenta, além do modo pelo qual Warren analisa e escolhe as empresas, um dos autores preferidos dele Sendo Philip Fisher, sendo um de seus melhores livros “Ações comuns, lucros extraordinários”.

A autora afirma que uma das estratégias mais úteis e pouco exploradas é a chamada scutlebut, na qual o pequeno investidor vai pessoalmente tanto na empresa que fabrica o produto quando na loja que revende o produto a fim de obter informações valiosas, muitas das quais, às vezes, nem mesmo estão disponíveis ou refletidas no mercado.

Por exemplo, ela afirma que, certa vez gostaria de investir na empresa Marlboro, da Philip Morris. No entanto, soube que, rapidamente os preços do cigarro haviam abaixado e talvez seja porque estava perdendo para a concorrência ou talvez que a empresa poderia estar em maus lençóis. No entanto com conversa telefônica com um dos responsáveis pela área de investidores, aquilo se tratava de uma estratégia para angariar mais participação no mercado. Com uma visita a uma loja de conveniência, Mary Buffett perguntou ao gerente da loja se a queda do preço do cigarro havia impactado sobre as vendas. O mesmo disse que sim, que as vendas subiram com isso. Antes que o aumento das vendas fossem divulgadas nos relatórios públicos, ela já sabia que o valor da ação iria subir em função das vendas aumentadas.

O mesmo aconteceu com Warren a respeito da GEICO, empresa de seguros, antes de investir quase dois milhões de dólares na empresa há décadas atrás, ele, em uma viagem a Washington DC, teve um “apresentação gratuita” da empresa diretamente com o supervisor da área de investimentos, na sua sala de escritório no sexto andar de um prédio da capital.

Desde então foi uma relação de amor que nunca mais terminou. Na verdade, as ações da GEICO nem mais podem ser compradas individualmente, elas podem ser compradas indiretamente, pois foram incorporadas pela Berkshire Hathaway, cujo dono é o próprio Warren e, cujo sticker da ação pode ser visto aqui: https://www.marketwatch.com/investing/stock/brk. 

Interessante que a autora, com suas próprias palavras, assim como fez Benjamin Graham, o professor de Warren Buffett, citou como o mercado como um todo, na maioria das vezes não consegue refletir o valor real das empresas as quais estão listadas, uma vez que costumam pensar no curto prazo e não a longo prazo.

Cita um exemplo o qual poderia realmente ilustrar como isto acontece: uma estação de ski dá lucros para toda uma família há mais de 30 anos. Quando neva bem e o mercado está bom, faturam cerca de 300 mil dólares no ano, quando neva bem e o mercado está aquecido, podem chegar a faturar 600 mil dólares. No entanto, eventualmente pode não nevar em determinado ano, e com isso a empresa não faturar nada. Só por isso podemos afirmar que a empresa não têm valor?

Pois bem, quando a empresa vai bem e divulga seus relatórios de ganho o preço das ações sobem, mas quando a empresa divulga seus últimos relatórios nos quais revelam zero em vendas o preço da ação despenca. Portanto, não basta ver relatórios para realmente precificar as ações, mas sim entender o negócio em si. Luiz Barsi filho, um dos maiores investidores do Brasil afirma seguir por esta técnica, pois não vende as ações a qual é detentor, mesmo em épocas de baixa. 

A autora afirma que, em sua jornada como investidor, foi normal Warren investir em empresas que tomaram decisões erradas e que, algumas vezes, particularmente interferiu, quando questionado, sobre o futuro da empresa. A autora cita dois casos: no primeiro dele foi quando a GENCO seguros passou de uma empresa a qual vendia seguros para motoristas “qualificados”, isto é, de baixo risco de acidentes para qualquer indivíduo que batesse em sua porta. Em pouco mais de alguns meses, esta mudança de estratégia fez com que a empresa perdesse centenas de milhões de dólares pois o perfil destes novos clientes era de pessoas as quais se acidentavam com mais frequência do que as primeiras, fazendo com que a empresa beirasse à falência. Depois de questionado, Warren disse para o Presidente da empresa que voltasse à política anterior, e basicamente que quantidade não equivale à qualidade. Com isso a empresa se recuperou e continua sendo lucrativa até hoje.

Outro caso foi da empresa American Express, na década de 60, conhecido como o “Escândalo do óleo de salada” https://en.wikipedia.org/wiki/Salad_Oil_scandal do dealer conhecido como Antony de Angelis, o qual conseguiu fortuna ao afirmar que tinha milhares de litros de óleo para o governo americano, dentro de navios atracados no porto, e, como a água não se mistura com óleo, conseguiu enganar os inspetores misturando água com óleo, angariando mais de 160 milhões de dólares em crédito. Ao final, como não conseguiu entregar o produto acordado com o governo Federal Americano, o qual iria utilizar o óleo nas escolas americanas, tal empresário pegou sete anos de cadeia.

Warren, conhecendo o potencial de crescimento vegetativo da American Express, de baixo custo de manutenção, mesmo diante de uma desvalorização que alcançou patamares de 50% das ações, cujo caixa ficou defasado em mais de sessenta milhões de dólares, Warren comprou ainda mais ações neste caso, investindo 40% de todo seu capital em tais ações na época, adquirindo 5% de participação na empresa, conseguindo 10 anos depois vender as mesmas ações com lucro de 20 milhões de dólares. Embora os números sejam grandes para o pequeno investidor, o que chama a atenção, no entanto é a estratégia utilizada, de comprar na baixa e vender na alta, de conhecer a empresa, seu ramo de atuação, seus custos e seu potencial de crescimento, suas projeções e não se deixar iludir pelos números os quais são divulgados pela mídia e relatórios mal confeccionados, com foco no curto prazo.

Fato conhecido da “maneira Warren de investir” é que este não adota um estilo de pulverização do capital em diferentes empresas, isto é o mesmo que dizer que ele não têm um portfólio diversificado de empresas para investir, na verdade, ele refuta esta ideia afirmando que as pessoas investem em dezenas de empresas ao mesmo tempo como alternativa para fugir de sua própria estupidez, no sentido de não conhecer a fundo o negócio o qual estão dispostos a alocar seu capital. Com isso, podemos concluir que ele investe em poucas empresas, ao mesmo tempo que é profundo conhecedor deste negócio tanto intrínseca como extrinsecamente.

Ao contrário de seu instrutor inicial, Benjamin Graham, o qual indicava o investimento em 100 empresas ao mesmo tempo, Warren seguiu os passos do britânico e economista John Keynes, o qual indicava o investimento em apenas 10 empresas, pois o trabalho seria reduzido e faria sentido assim o fazer se bem entendesse da empresa e aplicasse nelas somente se fizesse sentido em termos de lucratividade.

Em um certo momento, Mary Buffett aborda uma estratégia defendida por Warren conhecido como perfect pitch. A qual, conforme é utilizado por grande parte dos investidores de longo prazo, assim como Warren o é, simplesmente é aguardar o momento perfeito de realizar um investimento, no caso, em geral, se trata de momentos os quais as ações estão subvalorizadas, ou com queda repentina no preço das ações devido a uma notícia, fato, aquisição, ou outro evento o qual pode ter impacto grande na mídia, mas que não afeta significativamente a estrutura econômico-financeira da empresa, como montante de dívidas, liquidez corrente e distribuição de dividendos e monopolização de mercado.

A maneira de enxergar os investimentos, segundo Mary Buffett, poderia ser comparada a maneira de um homem olhar sua esposa. Imagine se, a cada semana você resolvesse trocar de mulher porque conseguiu ver atributos melhores, mais atraentes em outro tipo de mulher, como seria sua vida conjugal? ou visto por outro ângulo, imagine se, após decidir-se focar em uma área de estudos, por exemplo medicina, portanto, matricular-se em um curso de medicina e após 4 anos você, após ler uma matéria de jornal que um advogado estava ganhando milhões de dólares trabalhando em uma especialidade você resolvesse abandonar o curso de medicina e fazer direito, e, ainda assim, prestes a terminar o curso percebesse pelo noticiário que alguns brokers, no mercado financeiro de Nova York estavam fazendo dezenas de milhares de dólares ao atuarem no mercado financeiro e depois você migrasse para a carreira financeira, como estaria sua vida profissional neste sentido? O mesmo ele defende para as ações. O que aconteceria com seu portfólio se mês após mês o investidor troca de ações compra e vende ativos? 

Qual tempo teria de conhecer e reinvestir, caso tomasse boa decisão de compra?

Mary afirma que várias empresas boas foram compradas desta maneira inclusive Washington Post, a qual Warren adquiriu na década de 60, empresa a qual ele trabalhou, como entregador de jornais enquanto criança.

Mais de 40 anos depois esta mesma empresa fora adquirida por Bezos, dono da Amazon, por mais de 250 milhões de dólares, porém Warren preferiu não adquirir nenhum centavo desta companhia, percebendo que ela não tinha nenhum plano consistente em minimizar o declínio dos materiais impressos em relação aos conteúdos digitais.  Ao final do livro, Mary Buffett comenta que um dos maiores ganhos de Warren foi ter adquirido empresas de seguradoras, pois estas tinham ótimo fluxo de caixa e grande lucratividade anualmente, foram os primeiros bilhões de Warren adquiridos livres para aquisições de novas empresas oriundas de seguradoras, que o fizeram brilhar no mercado financeiro. Ao término do livro, a autora chama os leitores de buffetologistas, como especialistas do método Warren de investir.

porFernando Pinheiro

Como lidar com cartão de crédito

Veja dicas preciosas de como lidar com cartão de crédito, mesmo em épocas de crise

Há muitos anos atrás acreditava que o cartão de crédito era um dos principais vilões dos bancos, depois de muito abusar do crédito e ver o efeito catastrófico que seu abuso proporciona para as finanças, cheguei a ficar anos sem usar. No Brasil os juros de cartão de crédito giram na casa de 300% a.a., alguns casos até mais, e você pode confirmar esta quantia na própria fatura do cartão, em letras pequenas. Nos Estados Unidos, em viagem recente, conferi que os juros gravitam em torno de apenas 35% a.a, isto é, no Brasil, os juros são em média  9 vezes mais caro!

Não é de se espantar que tenha vários conhecidos que afirmam não utilizar cartão crédito. Uma pena. Sem cartão dificilmente você consegue comprar uma passagem de avião, locar um carro, pagar mais barato por produtos comprados via Internet, uma vez que nestes produtos não estão inclusos o aluguel da loja de exposição do produto nem a comissão do vendedor.

Portanto, nos resta a pergunta: como conciliar o aspecto obscuro dos juros abusivos do cartão com o lado brilhante da qualidade de consumo e portanto da qualidade de vida que o cartão propicia?

Uma das respostas mais claras e diretas quanto a isso é simples, mas difícil de conseguir: pagar a fatura de forma total ou pelo menos 70% do total mês a mês. Quando se abusa do cartão o melhor a fazer é desfazer-se dele, ainda que temporariamente, até quitar a fatura ou guardá-lo longe da carteira.

Uma das formas de nos educarmos quando estouramos o limite do cartão é fazer uma espécie de “regime de crédito”, passando alguns meses sem a sua utilização, portanto, tendo flexibilidade no orçamento doméstico pagando os itens à vista e deixando viagens, roupas novas e outros produtos para um futuro, quando o orçamento estiver em dia.

Lembrando: o cartão não é o vilão, mas sim a forma que encaramos o crédito, é uma faca de dois gumes, utilizada de forma correta é uma benção, mas erroneamente pode machucar nossa vida financeira por um bom tempo, o consumo consciente é a melhor solução.
Encontrei em um site de educação financeira um vídeo que fala exatamente sobre isso, sobre o perigo de usar sem consciência o cartão, acarretando o efeito “bola de neve”, devido ao efeito dos juros do cartão:


Até mais.

porFernando Pinheiro

Resenha do Livro Fator de Enriquecimento – parte 01

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.

Livro Fator de EnriquecimentoO autor fala de 5.000 horas para ser realmente especialista em uma área, outros atores, como Kiyosaki comenta, em tempo, sobre 10 anos trabalhando em uma área para se tornar especialista, mostra que sem o mix de marketing digital aliado com conhecimento de business nos dias de hoje, dificilmente um profissional alcançará êxito, não acelera…Mostra que o conhecimento e aplicabilidade de alta performance que é o coach, na prática, com metas e mini metas sendo cumpridas religiosamente…há chances reais do indivíduo alcançar suas metas. Demonstra como a humildade pode auxiliar e muito um profissional, colocando o exemplo dele mesmo ao contratar 9 consultorias em 1 ano nas áreas de mkt digital, jurídica, comercial, impostos e até proteção direitos autorais…

Elencar tabela de peritos

Viste um homem perito em seu ofício? perante reis será posto. Não será posto perante os de baixa sorte”

Provérbios, 22:29

Após, o autor coloca numa tabela o nível de alcance, em termos geográficos e consecutivamente o número de pessoas que o profissional alcança, está relacionado ao nível de sucesso e notoriedade deste profissional. Por exemplo ser considerado o melhor profissional dentro da organização a qual trabalha tem um impacto menor do que ser o melhor da cidade ou do Estado o qual mora, isto está diretamente correlacionado inclusive à renda deste indivíduo. Podemos concluir, portanto que pessoas reconhecidas nacional ou internacionalmente terão, obrigatoriamente uma renda maior do que aquela que é reconhecida como a melhor somente no ambiente organizacional o qual trabalha.

Depois, fiz anotação sobre a fórmula do enriquecimento em si, a qual pode ser definida como:

FE = R x P x I, onde

FE – Fórmula do Enriquecimento

R – Receita total

P – Poupança

I – Investimento

É válido lembrar de colocar, para cada 1000 reais de renda, 1 ponto percentual, então, por exemplo, se uma pessoa ganha 2000 reais, colocar no fator de multiplicação o 2, se outra ganha 5000 reais, colocar 5, um terceiro ganha 10.000, multiplica por 1. Para a porcentagem a ser poupada, colocar um valor cheio para cada casa decimal, exemplo, pessoa poupa 10% de sua renda, equivale a 10, outro poupa 50% de sua renda, colocar 50. Para a rentabilidade, mesma coisa, para cada porcento, colocar número cheio, exemplo, rende 3% ao mês, colocar o fator multiplicador por 3, rende 10%, colocar vezes 10.

No livro, há uma espécie de tabela onde o fator de enriquecimento pode variar do 0 ao 6, (pode avançar até mais) onde 0 é “morto” e 6 é “milionário”, dependendo da renda, poupança e investimento total do indivíduo. Quanto mais ele poupa ou tem receita por exemplo, maior a fórmula do enriquecimento irá o “classificar” dentro dos níveis deste fator, isto é, do 0 ao 6. Esta tabela mostra de maneira quantitativa nossa própria “escala”, e podemos, neste sentido, evoluir financeiramente ao aumentar a receita, poupança ou Investimento, bem como nos observar dentro da escala em qual momento nos encontramos financeiramente.

Na segunda parte, Paulo fala sobre a gratidão, de maneira extensa e com detalhes de como ela pode, muitas vezes por si só, fazer com que o indivíduo faça um salto quântico…para a riqueza, pois o sentir- se rico com os dons naturais que Deus nos deu, como nossa família, amigos, emprego, clientes, alunos..o ar que respiramos, o dom de enxergar..pode nos fazer desprender o dinheiro em si e ver que este e uma ferramenta na mão do grato…

Reafirma tal tese baseado em pesquisas como estudo de bibliografia de feiras…mais de 200 freiras ao escrever sobre si, aquelas que destacavam gratidão viviam mais tempo.

Paulo dá a dica de como eliminar as dívidas, colocá-las em planilha, ordená-las até mesmo com valor de porcentagem do juro, montante e renegociar a dívida caso não consiga quitá-la, se precisar, procurar um advogado, enfim são passos parecidos com aqueles recomendados por Cerbasi, que mostra quantas parcelas, valor do montante, valor parcela etc.. Continua>>>

porFernando Pinheiro

Resenha do Livro Fator de Enriquecimento – parte 03

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.

Livro Fator de EnriquecimentoDepois, segundo Paulo, existem mais 4 tabelas as quais o autor classifica como iniciante, discípulo, candidato a rico e rico, como sugestões de direcionamento da renda para as diferentes categorias de gastos e investimentos mensais, vou passar somente em nível de exemplo a classificação de discípulo, com renda presumida de R$5.000,00, o leitor pode colocar a sua renda real, isto vale para qualquer salário, seja o mínimo ou 10X este valor.

Interessante notar que, mesmo não sendo candidato a rico e muito menos rico, uma das formas de se candidatar a tal é gastar apenas 50% das receitas com despesas básicas, como aluguel ou financiamento de imóvel de moradia, gasolina, água, luz e outras despesas básicas. Só assim a pessoa consegue deixar um restante para poupar e investir, bem como para abundar, poupar e investir faz com que o dinheiro trabalhe para você por meio dos juros compostos e traga segurança para quaisquer imprevistos, já o abundar é obter experiências as quais irão te motivar a trabalhar mais e melhor, a fim de continuar a ter mais experiências enriquecedoras.

Avançando a obra Fator de enriquecimento, chegamos a uma parte que é fazer a mudança de crenças e paradigmas frente ao dinheiro e outras circunstâncias e fatos atrelados a ele, comparativamente podemos citar Louise Hay, a qual dava lições de repetições a serem explanadas e pensadas, o que ela chamava de afirmações, afirmações positivas e construtoras, as quais, em sua repetição mudam a forma de se encarar a vida. Desta forma, cito algumas passagens e frases diante de determinados argumentos. Lembro que no livro, estes espaços contém alguns exemplos, mas cabe a cada um colocar o que realmente passa em mente frente algumas destas situações e, porque não, fazer um comparativo com aqueles citados por Paulo.

Vou colocar aqui, dentre os mais de 10 conceitos elencados no livro, apenas 03 os quais estão adaptados ou editados a minha realidade, mas cada um pode colocar suas próprias afirmações, até porque, isto serve de forma a comparar suas próprias afirmações com aquelas citadas no livro. Muitas vezes é justamente a limitação ou crenças limitantes que nos impedem de “avançar” ou “expandir” conceitos, citados como fatores que nos impedem de melhorar financeiramente.

01 – Contas

Cada conta que chega foi um bem ou serviço que adquiri, e isso é maravilhoso, vou pagá-la tranquilamente, pois reservo parte do meu rendimento, religiosamente para isso, cada conta que pago, faço girar a economia, empregos e renda para outros;

02 – Abundância

A abundância é um estilo de vida a qual passo a usufruir cada ano de forma mais expressiva, é uma dádiva Divina dada aqueles que entendem as leis de Deus, é uma graça a qual compartilho com aqueles que amo e quem necessita, a abundância é um privilégio de quem doa e ama, sou merecedor da abundância que está disponível na Criação a quem a mereça;

03 – Poupança

É o contrapeso de que necessito para atrair mais dinheiro, pois o rio corre para o mar para reencontrá-lo e o dinheiro, ao fluir para quem o têm, passa por mim e eu o retenho em uma medida saudável, assim como as hidroelétricas, ao emanar energia para todo um país, ainda assim a mantém um pouco em seus reservatórios, é um fator de enriquecimento indispensável;

Neste momento do livro, Paulo utiliza um mecanismo bastante apreciado, iniciado no século V antes de cristo, conhecido como método Socrático, que nada mais visa do que a condução, entre aluno e professor, a uma jornada investigativa, também conhecida como maiêutica, na qual o próprio aluno descobre a realidade por meio de perguntas, às vezes aparentemente ingênuas, mas que têm por finalidade desconstruir uma série de paradigmas impostos pela sociedade e costumes da época vigente.

Segue agora alguns exemplos de como desconstruir ou ao menos abalar crenças e ideais aceitos definitivamente por nossa mente e transmitidos ao nosso comportamento por aquilo que psicólogos definem como inconsciente coletivo.

O inconsciente coletivo não é construído pelo indivíduo em si, mas sim herdado geneticamente pelo ambiente o qual ele vive por meio de arquétipos ou imagens.

São as conhecidas perguntas enriquecedoras:

Quem disse que tenho de trabalhar duro para vencer? que autoridade disse isso?

O que eu posso fazer para conseguir ultrapassar os limites de renda que possuo atualmente e conseguir viver com mais do que preciso?

Sabia que os verdadeiros bilionários trabalham mais de 60 horas semanais e que estão sim, preparados para perder e sofrer antes de alcançar suas verdadeiras façanhas?

Independente de quanto tenho ou ganho sou feliz, quem disse que para ser feliz precisa ser rico?

Será que o contrário não é verdadeiro, que para ser rico é preciso antes ser feliz?

O que preciso aprender e manejar para ser financeiramente independente?

Quem disse que para ser honesto precisa ser pobre? será que não existem ricos honestos?

Posso viver até os 90 anos com vigor e lucidez, como o fazem as pessoas que chegaram lá cheias de energia?

Será que sei cobrar o quanto realmente me esforcei para conseguir chegar até aqui, o que é caro para você?

Eu não sou merecedor de todas as coisas boas deste planeta? o que me impede de experienciar as maravilhas deste mundo? não estão aqui para este propósito?

Quem disse que não sou merecedor de mais dinheiro de ser melhor remunerado pelas minhas horas de serviço?

Quem disse que dinheiro não é importante? se eu tiver bastante dinheiro poderei ajudar mais pessoas, isto não é importante?

Que vantagens posso trazer a minha existência se tiver dinheiro de sobra?

Como posso mudar a minha vida e de meus próximos com mais recursos?

12

porFernando Pinheiro

Resenha do Livro Fator de Enriquecimento – parte 02

Atenção: a resenha não é um resumo, isto é, não representa uma cópia ou análise fiel da obra referenciada, são apenas comentários e observações do livro, caso queira adquirir a obra na íntegra, clicar neste link: e-book da amazon.

[…]

Livro Fator de EnriquecimentoNo livro, comenta uma frase típica de ensinantes de PNL: “Você não é o que diz que é, você não é o que gostaria de ser, muito menos o que dizem que você é. Você é na verdade seus resultados e o seu comportamento mais repetido”.

Vieira pede para seus leitores escreverem as respostas das perguntas que faz no livro. O autor pede para escrevermos ao menos 40 itens aos quais somos gratos, eu escrevi as minhas razões, você pode pensar nas suas, ou imprimir esta página e escrever…

01 –

02 –

03 –

04 –

05 –

06 –

07 –

08 –

09 –

10 –

11 –

12 –

13 –

14 –

15 –

16 –

17 –

18 –

19 –

20 –

21 –

22 –

23 –

24 –

25 –

26 –

27 –

28 –

29 –

30 –

31 –

32 –

33 –

34 –

35 –

36 –

37 –

38 –

39 –

40 –

Aparentemente será difícil preencher a lista toda, se este for seu caso mostrará como a gratidão pode ser um desafio e tanto para as pessoas que não a praticam, mesmo que demore vários minutos ou dias, tente preencher toda a lista e verá que é mais “abençoado” do que imagina, pense nas coisas básicas como o ar que respira, cidade, algum aspecto do corpo ou corpo todo etc..

Passo a passo para uma mentalidade e comportamento de riqueza

Passo 01

Avançando no livro, Paulo comenta, assim como nos autores anteriormente estudados, como O Homem mais Rico da Babilônia, o ato de pagar-se primeiro, esta pode ser implementada, por exemplo, configurando o aplicativo de seu banco para realizar transferência automática da conta do banco para a corretora, ou ainda comprar ativos financeiros os quais periodicamente oferecem juros como cupons do tesouro direto ou ações de boas empresas. Esta atitude se torna importanto como forma de enviar uma mensagem para subconsciente de que é merecedor e que, de fato, a primeira pessoa a receber os benefícios do seu próprio dinheiro, suado, é você mesmo e depois, as pessoas as quais devo, sejam aqueles os quais pago aluguel, fornecem minha alimentação, emprestaram dinheiro etc..

Passo 02

Como segundo passo, haja vista o grau de importância, é a pessoa iniciar, sistematicamente, o processo de doação, filantropia, altruísmo, nem que seja 5%, apenas de sua renda. Mais adiante pode avançar para 10, 15, quiçá 20% da renda para tal. O propósito, como tudo, funciona primeiramente na mente do indivíduo, para depois materializar-se no dia a dia da pessoa, uma forma de fazer conscientemente a partilha, sobrar para compartilhar com terceiros, sejam parentes ou outros terceiros, necesitados por exemplo.

Imagine que, tomando tal medida, uma ou outra hora, por meio do beneficiado ou não, haverá o efetivo retorno de tais ações, pela lei da reciprocidade a qual biblicamente retorna centenas de vezes aumentada.

Passo 03

Outra dica super importante de Paulo, é o de pagar todas as contas, a fim de deixar a prosperidade e riqueza entrar, bem como obter maiores créditos junto aos bancos e corretoras com finalidade de multiplicação e compartilhamento.

Usar pelo menos 10% da renda para pagar todas as contas, não ultrapassar de forma nenhuma 50%, pois assim outras áreas, como o de abundar, investir e doar ficam minimizadas, não deixando o ciclo da riqueza fluir livremente.

Passo 04

Poupar e investir para a realização de metas é o quarto passo citado por ele, uma vez que não adianta o fulano ganhar 100 mil reais por mês se, além de gastar mais do que ganhar, não poupar nada ou ainda poupar mas não ver os ganhos com tal capital, como na poupança que somente faz um ajuste para o dinheiro não ser corroído pela inflação. Recomenda investimento em ações, títulos do tesouro, negócios imobiliários, este último onde têm mais experiência.

Recomenda o usufruto do benefício dos investimentos bem feitos, como fazer uma viagem, um safári, um tour internacional, pois, baseado em pesquisas científicas, as pessoas têm mais contentamento e felicidade ao usufruir experiências marcantes do que receber itens, ou seja, o ter, como um celular novo ou camiseta.

Passo 05

Abundar, que nada mais é do que o coroamento das reservas financeiras mensais, ou seja, realizar uma viagem de curta distância, se hospedar por um dia em um hotel de luxo, comer no melhor restaurante da cidade, devem fazer parte da rotina de pessoas que almejam o sucesso e experiências enriquecedoras. Desta forma, afirma Paulo, a consciência se expande e procura novas e instigantes experiências, nunca voltando ao tamanho original, lembrando que é uma forma de amar-se, de provar para si mesmo que a Terra é um lugar bom de se viver, trazendo experiências as quais formam o que em psicologia se fala em recompensas positivas, a fim de perpetuar os esforços no sentido da liberdade financeira e profissional.

O autor não comenta como um passo separado, em si, mas, com estudos realizados anteriormente, colocaria como uma das coisas mais importantes fazer uma verdadeira caça às bruxas dos gastos desnecessários, das compras e contas que mais assolam o orçamento doméstico.

Como na grande maioria das famílias, gasto com alimentação, moradia e transporte geralmente consomem mais da metade do orçamento, seria excelente começar por aí.

Interessante ressaltar no capítulo 06 do livro Fator de enriquecimento, os detalhes sobre o cérebro humano que Paulo comenta, a respeito do lado esquerdo e direito do cérebro, como hemisfério esquerdo o lado matemático e cognitivo..e o hemisfério direito o lado emocional, não racional…Não adianta ler e estudar tabelas e gráficos, possuir um 3 faculdades diferentes se não houver um sistema de crenças de identidade, merecimento e capacidade para se atingir a riqueza, as sinapses neurais que formam uma rede intrincada de ligações cerebrais associando eventos passados, desde a infância até a fase adulta sobre o dinheiro sempre falarão alto se decaímos, continuamos no mesmo patamar ou evoluímos financeiramente

“Pessoas equilibradas vão de fato as lojas comprar o que efetivamente precisam, e pessoas carentes vão as lojas comprar algo que as fazem sentir bem, a riqueza é a ausência da necessidade”.

Paulo comenta um história de um casal que passa das crenças limitantes para uma crença de prosperidade, de riqueza, de gratidão até pelas posses de outros…aprenderam a poupar e gastar somente com o necessário e encontraram a riqueza na substituição de hábitos ruins como vitimização e desculpas, inveja e reclamações para investimento neles mesmos, na sua educação e formação. Continua>>>