Arquivo de tag Finanças Pessoais

porFernando Pinheiro

Educação Financeira: 30 táticas para melhorar sua renda

Há muitas pessoas que, diante de um problema, em especial financeiro e econômico, tristemente, não sabem fazer outra coisa senão reclamar. Tem muitas dificuldades em procurar soluções, em vez de problemas. Todos temos um pouco deste perfil. Isso pode significar baixo QI em Educação Financeira. Para melhorar isto, segue lista de itens, muitos dos quais etão ao alcance de qualquer pessoa, para incrementar a renda diante da Pandemia em que vivemos.

Não faz muitos dias onde li uma matéria a qual comentava de um sistema de redução de dívida que (supostamente) funciona como nenhum outro. Não pude deixar de rir. Afinal, eles fizeram parecer que existe algum tipo de bala de prata por aí que magicamente fará com que sua dívida desapareça – por uma taxa , é claro.

Adivinha? Não existe. Essa é a má notícia. A boa notícia é que, com um pouco de trabalho duro e foco, você pode fazer isso sozinho. A seguir, algumas táticas para que isso aconteça.

Segue lista de links com as táticas para você ir direto ao ponto que mais lhe atrair:

1- ficar fora de dívidas
2 – Pare de assumir novas dívidas
3 – Construa uma almofada/colchão
4 – Faça um inventário de suas dívidas
5 – Peça por ajuda
6 – Reduza sua dívida existente
7 – Acelere seus pagamentos
8 – Aproveite as ofertas de transferência de dívidas
9 – Faça uma venda de quintal ou comece a vender coisas no Mercado Livre e OLX
10 – Considere alugar um quarto para reduzir ainda mais suas despesas
11 – Escolha um trabalho ímpar para ganhar dinheiro extra
12 – Ganhe mais dinheiro com seu emprego atual …
13 – Encontre um novo emprego.
14 – Ganhe dinheiro extra ao lado com a vizinhança
15 – Consiga um segundo emprego.
16 – Entregue listas telefônicas.
17 – Faça trabalhos de jardinagem.
18 – limpar Casas ou escritórios.
19 – Melhore suas receitas fazendo preparação de impostos de renda
20 – Torne-se uma babá/tutor
21 – Aumente sua renda cuidando de animais.
22 – Torne-se um tutor.
23 – Ganhe mais ensinando um idioma.
24 – Torne-se um professor substituto.
25 – Torne-se um árbitro e consiga uma grana extra
26 – Faça web design freelancer.
27 – Faça alguma escrita freelance e complemente o orçamento doméstico.
28 – Inicie um blog em um nicho lucrativo.
29 – Seja pago para se inscrever em ofertas de avaliação.
30 – Maximize as recompensas do seu cartão de crédito.

1- ficar fora de dívidas (↑topo)

Reconheça o problema Pode parecer trivial, mas o primeiro passo para resolver sua dívida é admitir que você tem um problema. A menos que você esteja disposto a assumir sua situação e se comprometer a mudá-la, ficará endividado por muito, muito tempo. Se você é casado, agora é a hora de sentar e ter uma conversa sincera sobre dinheiro.

2 – Pare de assumir novas dívidas (↑topo)
Essa é uma pergunta difícil, especialmente se você se tornou dependente de cartões de crédito para sobreviver. Se você quiser sair do buraco, precisará parar de  cavar. Se você não tem dinheiro para pagar por algo, não compre. Se você precisar cortar seus cartões de crédito para que isso aconteça, FAÇA-O. Aqui, é importante entender por que você está tendo mais dívidas. Para alguns, é a emergência inesperada (veja a criação de uma almofada abaixo).
Para outros, é apenas um gasto excessivo constante. Uma solução é criar e seguir o orçamento temido.

3 – Construa uma almofada/colchão (↑topo)
Se você planeja viver sem crédito, precisará de uma almofada para lidar com despesas inesperadas – ou seja, um fundo de emergência . Especialistas em redução de dívida, como Gustavo Cerbasi , recomendam economizar 3  a 6 salários para os iniciantes. Obviamente, esse número pode variar dependendo das circunstâncias.
Se você é solteiro e por conta própria, provavelmente pode fugir com menos do que alguém com uma família.

Lembre-se, por mais importante que seja o seu fundo de emergência, você não deve exagerar. Construa-o, guarde-o em um banco local ou em uma corretora online, aplicado e siga em frente. Afinal, suas dívidas continuarão crescendo até você começar a acabar com elas.

4 – Inventário de suas dívidas (↑topo)
No interesse de desenvolver uma estratégia eficaz de pagamento da dívida, você precisa saber exatamente o que está enfrentando. Desenvolva uma lista detalhada de  quem você deve, quanto deve e as condições de pagamento associadas (por exemplo, pagamentos mínimos, taxas de juros etc.). Não deixe nada de fora.

5 – Peça por ajuda (↑topo)
Ligue para os credores da sua lista e pergunte se há alguma maneira de reduzir sua taxa de juros. Por mais  improvável que pareça, essa estratégia realmente funciona. Não, nem todos concordam com isso, mas alguns concordam. E o pior que podem fazer é dizer não. Lembre-se que pedir ajuda não é uma vergonha, mas antes sinal de humildade. A falta de humildade pode significar soberba e arrogância, que é considerado inclusive um pecado segundo textos bíblicos e hindus.

6 – Reduza sua dívida existente (↑topo)
Houve muito debate sobre as melhores estratégias de redução de dívida . Alguns dizem que atacam suas dívidas menores primeiro, enquanto outros dizem que se concentram naquelas com as taxas de juros mais altas. Adivinha? Como você faz isso realmente não importa. O importante é escolher um método e começar.

Para manter-se atualizado sobre todas as suas dívidas e, assim, evitar taxas desnecessárias, envie pelo menos o mínimo devido a cada credor todos os meses.  Depois disso, pegue o dinheiro que sobra e ataque o seu alvo número 1. À medida que suas dívidas começarem a derreter, você poderá direcionar mais e mais dinheiro para o seu próximo alvo.

7 – Acelere seus pagamentos (↑topo)
Se você chegou até aqui, está indo muito bem. Agora é hora de acelerar as coisas. Comece descartando todas as despesas recorrentes e discricionárias e reduza onde mais puder. Qualquer economia extra que você tiver deve ser direcionada para suas dívidas.

8 – Aproveite as ofertas de transferência de dívidas (↑topo)
Com intuito de conseguir novos clientes, alguns bancos compram as dívidas das pessoas a fim de trazerem para suas carteiras, já vi situações de pessoas economizarem 20% das dívidas simplesmente trocando o agente bancário. Isso pode funcionar porque, na troca, um banco paga a vista a sua dívida e a atualiza para um novo saldo devedor.

9 – Faça uma venda de quintal ou comece a vender coisas no Mercado Livre e OLX (↑topo)

Nos dois sites listados acima, há milhares de pessoas visitando as páginas procurando por pechinchas, em vez de comprar algo totalmente novo em lojas como Amazon, Americanas e Magazine Luiza. É aqui que você entra em cena

10 – Considere alugar um quarto para reduzir ainda mais suas despesas (↑topo)

Poco utilizado no Brasil, até porque é ilegal por aqui a sublocação, o aluguel, ainda que temporário de um quarto pode ajudar nas finanças, sites como Airbnb comercializam isso.

11 – Escolha um trabalho ímpar para ganhar dinheiro extra (↑topo)
Direcione quaisquer ganhos inesperados para suas dívidas Cada pedacinho ajuda.

12 – Ganhe mais dinheiro com seu emprego atual …(↑topo)
Um ponto lógico para começar ao tentar melhorar sua vida é se concentrar na sua linha de trabalho atual. Aqui estão três maneiras diferentes de obter mais do seu trabalho:

a) Peça por um aumento.

Uma das maneiras mais fáceis de ganhar dinheiro extra é obter mais pelo que você já está fazendo. Com isso em mente, você deve trabalhar  para se destacar no seu trabalho, criar um caso e depois pedir um aumento.

b) Posicione-se para uma promoção.

Outra ótima maneira de ganhar mais com seu trabalho é ser promovido a uma posição de remuneração mais alta.
Vá além do chamado do dever no local de trabalho e considere aproveitar todas as oportunidades de treinamento que encontrar. Empregos públicos passam a pagar mais com a apresentação de cursos e treinamentos, portanto, sempre mantenha-se aprendendo algo novo.

13 – Encontre um novo emprego (↑topo)

Uma ótima maneira de aumentar seu poder aquisitivo é obter uma oferta de emprego. Mesmo se for um movimento lateral, e especialmente se não for, trocar de emprego é uma ótima maneira de aumentar seu salário. Infelizmente, agora que a economia está em crise, provavelmente não é o melhor momento para pedir um aumento, pressionar por uma promoção ou procurar um novo emprego. Embora não possa doer tentar, talvez seja necessário procurar outro lugar na esperança de gerar renda extra.

14 – Ganhe dinheiro extra ao lado com a vizinhança (↑topo)

Há um número quase infinito de maneiras de gerar um pouco de dinheiro extra. Seja escolhendo um segundo emprego, fazendo serviços manuais pela vizinhança ou vendendo  coisas, você está realmente limitado apenas pelo seu tempo e imaginação.

15 – Consiga um segundo emprego (↑topo)
Enquanto o mercado de trabalho está apertado e cada vez mais apertado, conseguir um segundo emprego é uma maneira infalível de ganhar dinheiro extra.

16 – Entregue listas telefônicas (↑topo)
Sim, você leu certo, isto ainda existe a empresas de telefonia que não o fazem estão sendo reclamadas pelos consumidores. Você não ficará rico, mas não é particularmente difícil, e você pode fazê-lo em seu próprio tempo.

17 – Faça trabalhos de jardinagem (↑topo)
Mais e mais pessoas estão terceirizando seus cuidados com o gramado. Por que não pegar um pedaço da ação? Você pode ganhar alguns reais  e fazer exercícios de uma só vez.

18 – limpar Casas ou escritórios (↑topo)
Embora este tipo de terceirização não seja comum no Brasil, ainda há boas chances de realizar renda extra com tal atividade. Assim como cuidados com o gramado e remoção de folhas, há uma tonelada de pessoas por aí procurando ajuda em casa.

19 – Faça a preparação de impostos de renda (↑topo)
Empresas de contabilidade estão sempre procurando funcionários temporários durante a temporada fiscal. Você pode procurar alguns escritórios próximos de  sua casa e se informar.

20 – Torne-se uma babá/tutor (↑topo)
A babá pode ser bastante lucrativa – veja quanto as pessoas pagam babás – e também é muito flexível. Embora este papel, em geral, esteja restrito a mulheres, dentro das famílias, entre tios, primos e irmãos um homem também pode exercer o papel de tutor, porque não?

21 – Comece a cuidar de animais (↑topo)
Existem aplicativos especializados para pessoas que querem ajudar as outras pessoas a cuidarem de seus animais por um breve tempo e, ao mesmo tempo, serem remunerados por isso. Nesta matéria você pode ler que existem vários aplicativos para celular os quais facilitam este tipo de serviço.

22 – Torne-se um tutor (↑topo)
Você mora perto de uma escola ou faculdade? Existem assuntos em que você é particularmente bom? Nesse caso, considere aulas particulares em seu tempo livre.

23 – Ensine um idioma (↑topo)
Para aqueles que têm a sorte de serem fluentes em um segundo idioma, você pode ganhar dinheiro ensinando isso para outras pessoas. Em alguns casos,  as pessoas pagam até para conversar durante o café com um “parceiro de conversação”, fluente no idioma que está aprendendo.

24 – Torne-se um professor substituto (↑topo)
Dependendo da sua formação educacional, isso pode ser uma boa fonte de dinheiro, especialmente para mães caseiras que desejam voltar à força de trabalho,  mas desejam horas que acomodem seus filhos.

25 – Torne-se um árbitro (↑topo)
Árbitro de uma liga esportiva local. Por aqui, as ligas esportivas estão sempre procurando árbitros competentes. Geralmente, os jogos são  agendados em horário comercial e são muito bons. Jogos locais costumam pagar R$150,00 por jogo e jogos internacionais pagam em média R$3000,00

26 – Faça web design freelancer (↑topo)
Se você tem as habilidades necessárias, há vários recursos on-line para encontrar apresentações de web design. Se isso não funcionar, bata na porta da sua comunidade. Muitas empresas pequenas não têm muita presença na web e poderiam usar sua ajuda.

27 – Faça alguma escrita freelance (↑topo)
Como é o caso do web design, existem vários recursos on-line para ajudar outras empresas a criarem textos atrativos para seus produtos e serviços. Isso é conhecido como Copy Writer, um tipo de profissão nova em ascensão aqui nas terras brasileiras. Pesquise um pouco e veja se consegue  encontrar algo que atenda aos seus interesses.

28 – Inicie um blog em um nicho lucrativo (↑topo)
Este site é um excelente exemplo do fato de que você pode ganhar dinheiro com blogs. Não é fácil, mas definitivamente pode ser feito. Existem estratégias desde colocar à venda espaços publicitários como criar seus próprios conteúdos exclusivos, direcionados para o público que gosta de seu conteúdo.

29 – Seja pago para se inscrever em ofertas de avaliação (↑topo)
Sites como o hometester ou  Clube dos testadores pagam para você se inscrever para testes gratuitos – você sempre pode cancelá-los.

30 – Maximize as recompensas do seu cartão de crédito (↑topo)
Contanto que você mantenha um controle sobre seus gastos e verifique seu relatório de crédito gratuito, os cartões de crédito-recompensa são uma ótima maneira de gerar um pouco de dinheiro de reserva nas despesas diárias.
Aproveite os bônus de inscrição. Você pode facilmente obter bônus de inscrição que variam de R$5 ,00 a R$150,00 reais quando solicita um cartão de crédito ou abre uma conta bancária.

Conclusão

Há muitas outras opções de renda extra ou complementar que auxiliam na sua jornada em aumentar seu QI financeiro, mas, com certeza, a listagem acima já é um começo, até mais.

porFernando Pinheiro

Educação Financeira: aprenda a economizar com bom orçamento doméstico

Aprenda a Economizar com uma boa Gestão do Orçamento Doméstico. Não deixe que seu rico dinheiro seja gasto em coisas que não importam, ou te afastam do controle das finanças.

 

Você já deve ter reparado que é uma falta de etiqueta, falta de informação e capacitação julgar uma pessoa pelas suas roupas. Quantos vendedores se enganam com clientes que, ao entrar em uma loja com roupas simples, estes imaginam que não têm dinheiro para gastar na loja e os tratam de qualquer maneira, às vezes direcionando sua atenção para pessoas que têm aparência mais luxuosa ou de requinte.

Pobres tolos, há uma frase americana que diz: “quanto maior o chapéu menor o gado”, pois ilustra que as aparências enganam.

Nos dias atuais gastamos mais com nossos pares de tênis do que nossos avós gastavam com carros.

A fim de aumentar a consciência sobre os gastos, melhorar a educação financeira, o que também poderíamos chamar de escolhas ou compras inteligentes, devemos fazer algumas perguntas para nós mesmos, como uma reflexão:

Quanto eu tenho gasto com alimentação no último mês? este ultrapassou a média dos últimos três meses? Quanto eu gasto com transporte? minha renda mensal suporta tranquilamente meus gastos nesta área? eu tenho poupado ou investido ao menos 10% de minha renda mensalmente? eu tenho separado uma parte de minha renda para fazer aquilo que gosto, como uma forma de me motivar a continuar trabalhando e gerando riquezas por onde passo?

Estas são algumas perguntas que somente poderemos responder se tivermos em mãos um orçamento doméstico, ainda que básico.

Não há uma receita clássica, final para um orçamento, no entanto, há 5 características básicas que todo bom orçamento doméstico precisa apresentar:

1 – Deve conter ao menos duas colunas: uma de receitas e outra de despesas, e, nas linhas as quais as duas colunas apresentam lançar os itens que pertencem a cada uma das colunas, por exemplo, salários para a coluna de receita e conta de luz, para despesa.

2 – Precisa ser alimentada com certa frequência, de forma ideal, semanalmente, para isso, basta coletar, a cada compra, os recibos e guardar na carteira, a fim de lançar aos finais de semana. Se ficar muito maçante, basta fazer estes lançamentos mensalmente, o que ficar melhor

3 – Ao final de cada coluna, digamos 15 linhas, para cada uma deve haver um total, isto é, qual o total das receitas e qual o total das despesas. A diferença destas colunas irá mostrar como andou seu orçamento mensal, se gastou mais do que ganhou ou se ganhou mais do que gastou, certamente, a meta é que a coluna das receitas seja maior do que a das despesas.

4 – Não se preocupe em criar uma linha da coluna para cada item que comprar, basta categorizar esta planilha com 5 ou 6 grandes áreas como alimentação, moradia, transporte, lazer, saúde e investimentos, por exemplo.

5 – Procure usar a criatividade para acrescentar outros itens que se relacionam com o orçamento doméstico, como por exemplo uma meta de um investimento, meta de itens a realizar durante o ano, alguma experiência a realizar em família ou com amigos.

Cuidado com o orçamento doméstico para não cair no erro: “puxa vida, agora tenho que CONTROLAR cada centavo que gasto, como seu que não sou bom com números não irei nem mesmo começar com isto!”

É o típico erro de pensar tudo ou nada, branco ou preto, arrumando desculpas ao jogar para os extremos.

Àquele que deseja perceber um aumento das economias e investir conscientemente, além de ter quitado praticamente todas as suas dívidas ou reduzí-las a ponto de não mais se tornar um pesadelo ao longo de todos os meses, faz muito sentido tomar as rédeas de seus hábitos e comportamentos de consumo, o que não significa, necessariamente deixar de tomar um café na padaria, fazer uma viagem intermunicipal ao menos uma vez ao mês ou tomar um sorvete com a namorada num sábado a tarde.

É consumir aquilo que realmente importa, tendo plena consciência da utilidade e benefício do item. Esta semana conversando com pessoa bem próxima que assistiu minhas aulas presenciais no ano passado veio até mim e disse: eu iria, por impulso comprar uma TV maior e nova, no entanto, após ouvir você falar de consumo consciente, resolvi adiar alguns dias a compra da TV, mais tarde, mudei de decisão e acabei comprando uma moto, pois esta me traria mais agilidade, velocidade fazendo com que eu realizasse mais coisas em menos tempo, algo que a televisão não poderia fazer, aliás, eu teria pouco tempo para ficar em frente à TV”

via GIPHY

Decisões como a citada acima não incluiu comprar um item de menor valor ou ainda deixar de comprar, pelo contrário, com um orçamento equilibrado e receitas advindas de trabalho honesto, esta pessoa, por meio de consumo consciente resolveu optar por um item mais caro, porém, este item iria trazer mais liberdade de ir e vir, de possibilitar trabalhar mais disposta entre outros benefícios que iriam superar e muito os benefícios da TV, mesmo sabendo que uma televisão hoje traz tantos recursos como um computador.

Outro dado interessante sobre o consumo inteligente, que ultrapassa a barreira daquilo que queremos ou não comprar é a questão da compra pelo inconsciente coletivo.

Como o inconsciente coletivo deteriora nossa educação financeira?

O inconsciente coletivo pode ser definido com um conjunto de escolhas e percepções invisíveis que não dependem somente das nossas próprias escolhas, mas são motivadas pelo desejo de pessoas as quais convivemos proximamente como vizinhos, colegas de trabalho e outras pessoas que habitam na cidade onde vivemos.

Há um estudo científico publicado pela New England Journal of MedicineThe Spread of Obesity in a Large Social Network over 32 Years –  mostrou que há uma tendência maior das pessoas se tornarem obesas dependendo da quantidade de pessoas obesas que a cercam, sejam pais, primos, vizinhos filhos ou amigos mais próximos. Por exemplo o estudo mostrou que as chances de uma pessoa se tornar obesa aumentam 57% se esta tiver um amigo que se tornou obeso em um determinado espaço de tempo. 

Não é incomum vermos certos círculos de amizade ou colegas de trabalho vestindo o mesmo tipo de roupa, ou utilizando os mesmos meios de transporte. Há quem diga que somos a média das cinco pessoas que mais convivem conosco, inclusive em termos de renda. 

“Ok, mas o que isso têm a ver com consumo inteligente?” o estudo reflete que não só que devemos “filtrar nossas amizades” e pessoas as quais convivemos mas, por que não auxiliar a influenciar positivamente as pessoas que nos cercam, em especial se estas demonstrarem interesse no assunto?

Três outros itens válidos a comentar sobre o consumo consciente, que impactam nossa inteligência financeira são:

01 – Realizar orçamentos para a compra de itens de consumo. Parece básico fazer isto, mas quantos de nós seguramos o impulso de comprar imediatamente um item para, somente alguns dias mais tarde, após consultar em pelos menos 3 lojas diferentes, inclusive pela internet,  finalmente optar pela melhor escolha? muitas vezes o item é o mesmo, marca, modelo, versão, apenas o nome do vendedor e nome da loja mudou, mas o preço pode ter apresentado, 10, 20 até mesmo 30% de desconto, não raro encontra-se por descontos ainda maiores, vale a pena.

02 – Diferenciar aquilo que é essencial, básico e do supérfluo, embora estes itens em si possam diferenciar de indivíduo para indivíduo, de acordo com a renda e hábitos de consumo, ainda assim, para cada um destes, um pouco de reflexão não irá atrapalhar na hora das compras, basta fazer a si mesmo as perguntas: isto realmente é necessário comprar agora? não posso aguardar alguns dias? eu preciso deste item pois ele irá me trazer alguma vantagem ou utilidade em meu trabalho ou no dia a dia ou após alguns dias ou meses irei guardá-lo no meu guarda-roupa ou estante para nunca mais usar? perguntas como estas fazem toda a diferença

03 – procurar pagar pelos itens de consumo à vista, realizando tal proeza, pode-se conseguir verdadeiras barganhas, descontos e até meios de pagamentos diferenciados, não raro, encontramos situações de pessoas que vendem casas, apartamentos ou terrenos pela metade do preço inicial para aqueles que têm a habilidade e controle emocional para guardar quantias equivalente. Vale e muito a pena.

Conclusão

Podemos concluir que a Educação Financeira só é completa com uma boa gestão de gastos, dito de outra forma, com bom orçamento doméstico, alinhado a consumo consciente, além de entender os fatores que nos influenciam negativamente como o meio social o qual estamos inseridos. Fique ligado em nossas próximas matérias e se inscreva para recebê-las em seu e-mail.

 

Artigo de livre tradução e adaptação do livro “I will Teach you to be rich” de Ramit Sethi

porFernando Pinheiro

Saiba economizar mudando de conta tradicional para conta digital

Nesta matéria você irá aprender as diferenças entre deixar seu dinheiro nos contas bancárias tradicionais e contas digitais, bem como de que maneira utilizá-las em um planejamento financeiro. 

Bancos amam jovens universitários, pois estes têm pouco ou nenhum conhecimento de como os bancos trabalham e por isso conseguem incutir produtos e serviços financeiros sem muitos problemas neste público, que muito mais tarde irão conscientizar-se financeiramente.

Como os bancos conseguem lucrar?

Os bancos trabalham majoritariamente pegando dinheiro dos poupadores e emprestando para os deficitários, paga somente 5% de juros para quem deixa o dinheiro no banco, para os poupadores e exige 300% para quem usa o dinheiro do cartão de crédito, um ótimo negócio, um lucro de 600%

Outra maneira do banco lucrar são com as taxas, há taxas para saques, transferências, folhas de cartão de crédito, emissão de vias de cartão, não cobertura do limite de cheque especial, taxas de utilização do cartão ou saque no exterior e de praticamente todas as operações bancárias, algumas podem ser minimizadas por mensalidades fixas, o que não isenta as tarifas e taxas, apenas as diminui.

As taxas cobradas pelos bancos são mais importantes do que os juros, uma vez que estas podem ser consideradas “penalidades” por utilizações consideradas indevidas ou não usuais para o tipo de sua conta, como utilização do limite do cheque especial, saques no exterior, atraso no pagamento da fatura do cartão ou atraso no pagamento da mensalidade da conta. Uma única taxa pode somar R$100,00 como no caso de saques no exterior de uma conta aberta no Brasil.

Como se livrar das taxas e ainda conseguir algum rendimento com minha conta bancária?

Uma das melhores maneira de “burlar” tal tipo de taxas e tarifas, além de não sofrer com vendas casadas de outros produtos bancários a cada vez que precisar falar com um gerente, é a abertura das contas bancárias online.

Tais contas também são chamadas de contas gratuitas, dado que praticamente todas as operações são grátis. No Brasil, as mais populares são a Neon, Next, Inter, Nubank e Original.

Segue um comparativo de quanto você consegue poupar se colocar o dinheiro em um banco digital em vez de um banco tradicional.

Diferenças de rendimento entre banco tradicional e banco digital

 

Você economiza Banco Digital, rende

aprox. 4,5% ao ano

Banco Tradicional rende

0,5%  ao ano (quando têm)

R$1000,00 R$45,00 R$5,00
R$5000,00 R$225,00 R$25,00
R$10000,00 R$450,00 R$50,00
R$25000,00 R$1.125,00 R$125,00
R$50000,00 R$2.2250 R$250,00

Por isso, antes de abrir ou manter sua conta bancária no banco que utiliza hoje repense sobre tarifas, taxas, multas bem como a real valorização do dinheiro na conta, se é que apresente.

Como migrar de um banco tradicional para um banco digital

Atualmente é permitido, segundo o Banco Central, a portabilidade entre bancos, incluindo-se neste caso a portabilidade para banco digital.

Resolução de nº 4292 de 20 de dezembro de 2013 dispõe sobre a portabilidade de operações de crédito realizadas com pessoas naturais. Essa resolução altera a resolução nº 3.401, de 6 de setembro de 2006 e dá também outras
providências.

Vale ressaltar que um dos pontos negativos do banco digital é o não oferecimento de um ponto comercial, de um gerente presencial para tirar dúvidas, explicar um determinado serviço. Se você é familiarizado com comunicação remota e digital, isso não significa, realmente um entrave.

A forma de realizar tal operação de portabilidade é abrir uma conta no banco de destino, assim, com número da conta em mãos, basta se dirigir para para o banco de origem e assinar um termo de portabilidade. A operação pode ser realizada mesmo somente com o banco de destino, no entanto, a assinatura do termo se dará neste banco de destino que se encarregará de comunicar o banco de origem. Em todo caso, fale com seu gerente.

Até mais

 

porFernando Pinheiro

A pura verdade sobre Finanças Pessoais

Reflexões inconvenientes sobre Finanças Pessoais que toda pessoa que tem algum tipo de renda deveria ler/ouvir desde a pré-adolescência. Extraído do livro traduzido livremente para o português, I Will teach you to be rich (Eu ensinarei você a ser rico), de Ramith Seth, o  texto faz comparativo entre comida e dinheiro, mostrando que, no fundo entender de finanças pode não ser fácil, mas é simples. 

Porque dinheiro e comida são tão similares

COMIDA DINHEIRO
Não rastreia a ingestão de calorias Não rastreia os gastos
Come mais do que sabemos gasta mais do que realiza ou admite
Debate trivialidade sobre calorias, dietas e exercícios debate trivialidade sobre taxas de juros, ações do momento etc.
Dá valor a dicas em vez de pesquisas Ouve amigos, debates de TV, parentes em vez de livros de finanças pessoais

O autor continua afirmações similares dizendo que não há necessidade de sermos especialistas em finanças para conseguir saúde financeira, não há necessidade de ser engenheiro mecânico para dirigir um carro, funciona no mesmo sentido para finanças. Debates intermináveis sobre o assunto funcionam para o lado psicológico que atua como atenuador da consciência no sentido de pensar que – está fazendo alguma coisa – financeiramente falando. 

No campo das finanças, o mais importante é tomar uma atitude agora, seja abrindo uma conta em uma corretora ou fazendo seu primeiro e aporte, e depois organizar tais aportes de maneira sistemática.

O autor faz referência a algumas culpas as quais as pessoas depositam no caminho da liberdade financeira:

  • our education system doesn’t teach this (nosso sistema de educação não nos ensina isto)  – afirma que, embora esta afirmação seja frequente, as escolas e faculdades em geral têm sim, programas de educação financeira, as pessoas é que procuram pouco o tema!
  • Credit cards and banks are out to profit of us (cartão de crédito e banco lucram conosco)  – certamente os bancos e cartões de crédito irão lucrar conosco, esta é a função deles, no entanto, é também nosso dever conhecer este jogo para não nos tornarmos vítimas e sairmos vitoriosos dos lucros que se tornam abusivos para quem não entende sua mecânica.
  • I’m afraid of losing money (eu tenho medo de perder dinheiro)  – certamente o medo é uma das piores armadilhas em termos de não melhorarmos financeiramente, e especial quando se está começando no mundo dos investimentos, no entanto, devemos lembrar que há produtos financeiros para os mais diversos perfis, tanto para conservadores quanto agressivos, portanto, o medo de perder não pode servir de desculpa, enquanto alguns estão com medo por causa de crises por exemplo, outros estão ganhando barganhas…
  • If I don’t know where to get an $100 extra per month? ( e se eu não souber como obter 100 reais por mês?) não se trata de obter 100 reais a mais por mês para que se possa, finalmente, realizar os primeiros aportes e começar a investir, pode ter certeza que, para começar, a pessoa não irá gastar 1 real a mais por mês para se tornar investidor, com pouco de gerenciamento das finanças o processo se torna indolor, tranquilo. Lembre-se que 1 real economizado por mês se torna 30 reais ao final de 1 mês

O autor traz alguns números da situação delicada financeira dos americanos, fazendo um comparativo entre obesidade e dívidas: ⅓ dos americanos estão obesos, isto é 30% da população e a média das dívidas das famílias americanas gira em torno de 7000 dólares.

Por causa da inflação, você perde seu dinheiro a cada dia quando deixa depositado em sua conta bancária. O autor nos lembra da crise que abalou o mundo em 2008, onde boa parte das pessoas saiu correndo da bolsa de valores, tomando uma das piores decisões financeiras, que é de ter comprado as ações na alta e vendido na baixa, e só o fez as pessoas que estavam mal orientadas em relação à diversificação de portfólio, pois a renda fixa não foi afetada significativamente com a crise financeira mundial.

Então ele se pergunta, será que todas aquelas pessoas se quer leram 1 livro de educação financeira?

Ele afirma categoricamente que as pessoas fazem as perguntas erradas, e vez de afirmarem quanto eu devo investir para ser livre financeiramente? as pessoas deveriam se perguntar:  o que eu devo fazer com a minha vida e como eu posso usar o dinheiro para fazer isso? nota-se que o autor têm o verdadeiro sentido das finanças em uma abordagem utilitarista do dinheiro e não como um fim em si mesmo, como a maioria pensa, se trata, portanto, de uma jornada, não um ponto final.

Deixe a história da sua vida contar como é enriquecer-se por conta própria.

85% da solução é começar – 0 é melhor que nada, imagine 85% pois bem, o autor comenta que a parte mais difícil e demorada é começar, pois bem, delimitar qual conta abrir para investir, definir orçamento doméstico entre outros itens se trata de começar, comece agora e viva sua vida como sempre quis

Tudo bem se cometer erros – melhor cometer erros agora quando se começa com pouco e aprender em vez de esperar têm muito para começar e, se errar, irá perder mais do que agora que têm pouco.

Ações ordinárias geram resultados ordinários – a maioria das pessoas, quando se fala em se tornar rico ou procurar a riqueza costumar falar de mega-sena ou de milhões de reais na conta, agora eu te pergunto, quantos deles você conhece que, pensando desta maneira, realmente se tornou milionário? isto é tomar ações ordinárias (que a maioria faz) quase ninguém acredito, portanto, é mais fácil alcançar grandes dígitos tomando ações pequenas. Para se tornar extraordinário, basta tomar atitudes diferentes, para obter resultados extraordinários.

Ser sexy é diferente do que ser rico – Ramith afirma que, quando fala de ações, investimentos em fundos e outras aplicações financeiras, a maioria das pessoas falam como operaram na última semana, como venderam com lucros e demais atividades, sendo, portanto, sexy em se tratando destes ativos, ao passo que ele dificilmente vende, geralmente só compra, e de maneira automática, fazendo alocações e distribuição em suas carteiras no intervalo de meses, duas vezes ao ano e só. Não é tão sexy e sofisticado, mas dentre aqueles que tiveram maior resultado é a estratégia de melhor efeito.

Consulte também outras postagens sobre o tema de finanças lendo sobre orçamento doméstico aqui

Caso tenha gostado deste trecho de livro e não queira perder quando houver atualizações, deixe seu e-mail na página inicial do blog.

porFernando Pinheiro

20 perguntas e respostas sobre cartão de crédito

Tenha a resposta para a maioria das dúvidas sobre um dos instrumentos financeiros mais utilizados (e útil) pelos brasileiros: o cartão de crédito.

Índice das perguntas em ordem:

1 – O que são os encargos financeiros do cartão de crédito?
2 – Qual utilidade da fatura de cartão?
3 – O que se entende por limite de crédito? há como aumentá-lo?
4 – Porque existe o pagamento mínimo no cartão de crédito?
5 – Como é composto o valor de pagamento mínimo do cartão de crédito?
6 – O que acontece se eu não pagar a fatura de cartão de crédito?
7 – Para que serve os programas de recompensas, nos cartões de crédito? existem para todos os cartões?
8 – Quais benefícios o cartão de crédito pode oferecer?
9 – Quais são os tipos de cartão mais utilizados?
10 – Quais são os custos fixos e variáveis de se ter um cartão de crédito?
11 – É normal uma pessoa, ao realizar uma compra, ser questionado sobre sua identidade, isto é, ter de apresentar um documento de identidade?
12 – Porque, em algumas situações, meu cartão de crédito não é aceito, ou apresenta algum erro no momento da compra? o que se fazer para evitá-los?
13 – Posso realizar o cancelamento de uma compra realizada por engano?
14 – Como posso proteger meu cartão de crédito?
15 – Percebi que muito em relação à segurança de um cartão de crédito se refere ao local onde realizamos a compra, como reconhecer, por exemplo, que um site é seguro?
16 – Onde posso tirar minhas dúvidas em relação ao cartão de crédito, quem pode me ajudar neste sentido?
17 – Como posso evitar cair nas armadilhas do cartão de crédito, em termos de pagamento de altos juros? quais são as estratégias mais eficientes neste ponto?
18 – Como sair das dívidas atreladas a um cartão de crédito?
19 – Há como pagar boleto utilizando o cartão de crédito?
20 – Sabendo que uma das maiores despesas do cartão de crédito é a anuidade, como obter um cartão de crédito onde não há necessidade de pagamento da anuidade?

Infelizmente, pela falta de educação financeira de boa parte das pessoas das terras brasileiras, o cartão de crédito muitas vezes é considerado o vilão da história, no entanto, ao descobrir seus benefícios, vantagens e principalmente as regras do jogo, minimizamos as chances desse instrumento financeiro se voltar contra nós, por meio dos juros abusivos e acabamos por ficar com o que de melhor ele nos pode oferecer, o que é, entre outras coisas, um meio de pagamento à vista, ou até mesmo antecipado, onde iremos pagar sem juros somente numa data futura, o que, de outra forma, nos consumiria o dinheiro à vista, a liquidez, que tem um valor substancialmente bem melhor do que um dinheiro somente numa data futura. Por meio das perguntas e resposta abaixo, saia na frente deste jogo e nunca mais perca dinheiro ou fique endividado com o cartão de crédito.

1 – O que são os encargos financeiros do cartão de crédito?
São os juros e tributos devidos em caso de financiamento das despesas realizadas com o cartão e contratação de empréstimos ou financiamentos com o cartão.

2 – Qual utilidade da fatura de cartão?
É o documento emitido mensalmente pelo emissor, que informa o total dos gastos com o cartão, o pagamento mínimo, o seu limite de crédito, dentre outras informações importantes. Nem as bandeiras nem as credenciadoras participam da emissão da fatura.

3 – O que se entende por limite de crédito? há como aumentá-lo?É o valor máximo permitido para a utilização de seu cartão. O emissor poderá disponibilizar limites de crédito específicos para compras parceladas, crédito pessoal, retirada de recursos no Brasil ou no exterior e demais operações. O limite pode ser aumentado automaticamente pelo seu banco ou a pedido, uma vez atendido os critérios que mudam de banco para banco, neste caso, compensa falar com seu gerente para conhecer tais critérios particulares de cada instituição.

4 – Porque existe o pagamento mínimo no cartão de crédito?

o valor mínimo indicado na fatura que você pode pagar, até a data de vencimento dela, para não ficar em atraso. Optando pelo pagamento mínimo, você financiará o saldo restante de sua fatura. Sobre esse saldo haverá incidência de juros e outros encargos, e, na fatura seguinte, todo esse valor deverá ser quitado integralmente ou poderá também ser parcelado, conforme as opções apresentadas na própria fatura

5 – Como é composto o valor de pagamento mínimo do cartão de crédito?

1 – O percentual mínimo de suas compras no mês, definido pela emissora
2 – Valor rotativo do mês anterior
3 – valor da prestação do parcelamento contratado

6 – O que acontece se eu não pagar a fatura de cartão de crédito?
Se você não realizar o pagamento de sua fatura na data do vencimento, você estará em atraso e seu cartão poderá ser bloqueado. Caso você pague a fatura só depois da data de vencimento, na próxima fatura, além da cobrança de juros, tarifas e impostos, também haverá cobrança de multa imposta pelo emissor

7 – Para que serve os programas de recompensas, nos cartões de crédito? existem para todos os cartões?

Não existem tais programas para todos os cartões. Programa destinado apenas a um cartão diferenciado, que permite o acúmulo de pontos com a utilização do cartão, os quais podem ser trocados por serviços, produtos ou descontos junto às empresas parceiras. O programa de recompensas pode ser gerenciado pelo emissor ou pelo parceiro (administrador do programa), conforme previsto em regulamento. Em geral, trata-se de milhas aéres para cada dólar utilizado, espaços exclusivos em aeroportos e eventos, brindes e descontos em marketplaces ou sites de compras da própria bandeira ou do programa de recompensas do banco.

8 – Quais benefícios o cartão de crédito pode oferecer?

1 – Parcelamento de compras
2 – Compras no exterior
3 – Saque em dinheiro
4 – Empréstimo pessoal
5 – Parcelamento do saldo da fatura
6 – Financiamento do saldo da fatura (pagamento parcial)
7 – Até 40 dias para pagamento de compras
8 – Serviços de assistência em viagem
9 – Seguro de acidentes pessoais para o titular, adicionais e filhos até determinado limite de idade
10 – Seguro de bagagem e aluguel de veículos
11 – Programas de recompensas
12 – Programas de descontos e ofertas especiais em certos estabelecimentos comerciais e lojas virtuais
13 – Acesso à sala VIP em determinados aeroportos
14 – Serviços de agência de viagem no Brasil e/ou no exterior
15 – não necessidade de dinheiro em espécie para pagamento de produtos e serviços
16 – segurança de conseguir dinheiro de volta na compra de produtos com defeito ou com preço similar em um determinado espaço de tempo, normalmente 30 dias após compra.
17 – Possibilidade de viajar todos os anos somente com milhas aéreas
18 – Ampla gama de produtos e serviços os quais se tem acesso somente com cartão de crédito, em especial programas de assinaturas e produtos on-line
19 – Acesso à aplicativos de finanças anexados aos aplicativos do cartão de crédito, em alguns casos
20 – Acesso a pagamento de contas, extratos, conferência de saldo, empréstimos e outros recursos do cartão de crédito sem necessidade de visitar uma agência bancária física, sendo 100% digital o gerenciamento deste instrumento via app.
21 – Isenção de tarifas de saque no exterior, as quais podem chegar a R$100,00 por saque, bem como isenção de taxa de IOF, a qual está na casa de 6% do valor da transação, caso opte, por meio de planejamento, em efetuar uma recarga em cartão de crédito internacional, em dólares ou euros, antes de realizar uma viagem ao exterior.

9 – Quais são os tipos de cartão mais utilizados?

a) Cartão de compra: Tem as mesmas funcionalidades de um cartão de crédito. O que o difere é que a fatura tem que ser paga integralmente na data do vencimento, não havendo assim a opção de pagar parte da fatura em um mês e o restante no mês seguinte (crédito rotativo).

b) Cartão débito: É o cartão que permite efetuar o pagamento de compras com débito direto na conta-corrente. Dessa forma, você deixa de usar cheques e de ter a necessidade de sacar dinheiro sempre que precisar realizar alguma compra. A aprovação do pagamento é feita
mediante a existência de saldo/limite disponível na conta-corrente no momento da transação.

c) Cartão pré-pago: Ele funciona como um celular pré-pago: você deposita um determinado valor e consome o crédito de acordo com a necessidade. No caso do cartão, você deposita o valor e pode efetuar o pagamento de compras e serviços que desejar, desde que tenha saldo no cartão. Esse cartão pode ser recarregado novamente ou ter utilização única, dependendo do modelo. Alguns exemplos de cartão pré-pago: vale-alimentação, valerefeição, cartão-mesada e vale-presente. Também muito utilizado para viagens no exterior, uma vez que tais tipos de cartão de crédito aceitam depósitos em reais, porém são automaticamente convertidos em Dólar ou Euro, isentando assim eventuais saques no exterior, o que apresentam taxas altas.

10 – Quais são os custos fixos e variáveis de se ter um cartão de crédito?

1 – Anuidade
2 – Fornecimento da segunda via
3 – Utilização dos canais de atendimento para retirada em dinheiro
4 – Pagamento de contas utilizando a função crédito
5 – Avaliação emergencial de crédito
6 – Custo psicológico e de tempo ao se mudar de um banco para outro ou de uma operadora de cartão para outra, uma vez que não há obrigatoriedade de ter um cartão de crédito atrelado a uma conta bancária.

11 – É normal uma pessoa, ao realizar uma compra, ser questionado sobre sua identidade, isto é, ter de apresentar um documento de identidade?

Sim, tal procedimento é normal, e visa sua própria segurança, evitando assim que outras pessoas utilizem seu cartão de crédito

12 – Porque, em algumas situações, meu cartão de crédito não é aceito, ou apresenta algum erro no momento da compra? o que se fazer para evitá-los?

Uma das razões abaixo pode ocasionar o bloqueio de suas compras, nos estabelecimentos comerciais ou on-line. Verifique o que pode ser feito para evitar tal constrangimento.

a) Seu limite de crédito não foi suficiente para realizar a compra. Assim, evite atingir 100% de seu limite do cartão, consulte este limite regularmente em seu aplicativo do cartão.

b) O pagamento da sua fatura ainda não foi processado. Desta forma, dê um tempo de, no mínimo, 24 horas para realizar novas compras, assim que paga a fatura

c) Falha de comunicação entre os sistemas. Isso pode variar de loja para loja, no entanto, realizar compras em estabelecimentos antigos, já renomados no comércio, evita tais circunstâncias

d) Cartão vencido. Lembre-se de consultar a validade de seu cartão – impressa na parte frontal do mesmo – e solicitar uma segunda via antes do vencimento

e) Problemas de leitura das informações do seu cartão. Caso verifique que seu cartão foi amassado, riscado ou esteja apresentando sinais de envelhecimento, não hesite em solicitar uma segunda via para evitar futuros constrangimentos.

f) Senha inválida. Utilize senhas as quais tem familiaridade, a fim de evitar relapsos de memória e se esquecer da senha, lembrando que várias tentativas frustadas podem ocasionar bloqueio de seu cartão, obrigando-o a visitar pessoalmente uma agência para desbloqueá-lo.

g) Atraso no pagamento da fatura. Pague sua fatura no dia do vencimento, ou com no máximo menos de uma semana de atraso, caso contrário, este pode ser bloqueado para compras.

h) Suspeita de fraude ou uso indevido por terceiros. Compras on-line, em especial em sites pouco conhecidos, ou várias tentativas de compra em uma mesma loja online, ou ainda a utilização demasiada, fora do comum para seu perfil, podem ocasionar bloqueios. Uma maneira saudável de evitar tal situação é possuir dois ou até três cartões, assim, na tentativa de uma compra mal sucedida, é melhor utilizar um segundo cartão do que tentar várias vezes a compra por um mesmo cartão, o que pode ocasionar um bloqueio.

13 – Posso realizar o cancelamento de uma compra realizada por engano?

O cartão de crédito é um meio de pagamento. Se você tiver qualquer problema com o que comprou na loja (por exemplo, o produto chegou quebrado ou não é o que você escolheu), deve preferencialmente resolver essa questão diretamente na loja, pois essa situação envolve a devolução do bem para o estabelecimento comercial. Assim, ele é o responsável por cancelar sua compra e devolver os valores que você já tenha pago. Do contrário, procure o emissor de seu cartão e sim, a devolução do dinheiro pago pelo produto pode ocorrer pela empresa emissora de seu cartão, atendendo critérios próprios de cada bandeira. Em alguns casos, por exemplo em suspeita de fraude, seu cartão, no processo de devolução do dinheiro, pode ocasionar o cancelamento do cartão e emissão de uma segunda via.

14 – Como posso proteger meu cartão de crédito?

Mantenha-o sempre em local seguro e nunca o perca de vista, inclusive nos momentos em que você estiver fazendo o pagamento de uma compra. Nunca se esqueça de pegar o cartão de volta quando terminar a compra e conferir se é mesmo o seu cartão que está sendo devolvido. Volte a guardá-lo em um lugar seguro. Seu cartão de crédito é pessoal e
intransferível. Nunca o empreste nem revele a sua senha. Não molhe, dobre ou amasse seu cartão nem o deixe perto de aparelhos eletrônicos, como televisão, celulares ou micro-ondas: isso pode estragar a parte magnética ou o chip do seu cartão.
Em caso de perda ou roubo do seu cartão, avise imediatamente a central de atendimento do emissor do cartão e peça uma 2ª via. Se não reconhecer algum lançamento em sua fatura, ligue imediatamente para a central de atendimento do emissor do cartão e relate o ocorrido.
Ao comprar com seu cartão pela internet ou telefone, certifique-se de que a empresa é idônea e o site é seguro

15 – Percebi que muito em relação à segurança de um cartão de crédito se refere ao local onde realizamos a compra, como reconhecer, por exemplo, que um site é seguro?

a) Veja se o site utiliza o protocolo https na barra de endereços. Geralmente aparece um ícone de cadeado na barra de endereço, especificando tal segurança. Clique 2 vezes no cadeado para que o certificado de segurança seja exibido.

b) Confira se o endereço da página que você está acessando é o mesmo do campo “emitido para” do certificado de segurança. Após a compra, imprima o comprovante ou as telas para utilizar como garantia do que foi combinado. Isso parece simples de identificar, no entanto, algumas pessoas contraem até mesmo vírus no computador quando, por exemplo, recebem um e-mail do seu banco dizendo, por exemplo “seu cartão foi clonado, clique aqui para desbloqueá-lo” e, ao passar o mouse sobre o link do desbloqueio, verifica-se um link falso, que confunde o usuário, como http: link.bancoitau.com.br, e não itau.com.br.

16 – Onde posso tirar minhas dúvidas em relação ao cartão de crédito, quem pode me ajudar neste sentido?

a) A central de atendimento telefônico do emissor do cartão pode resolver muitas dúvidas e dar informações importantes sobre o cartão, limite de crédito, faturas, contratos, renegociação de dívidas, atualização cadastral e registro de reclamações.

b) Caso conheça um consultor financeiro de confiança, também pode tirar dúvidas com o mesmo por meio de seus canais de atendimento, seja telefone, whats ou formulário de contato.

c) Sac do emissor de cartão: É um canal exclusivo do emissor do cartão para cancelamento de contrato, reclamações e informações sobre produtos e serviços específicos.

d) Ouvidoria: As ouvidorias atuam como canal de comunicação entre os bancos e seus clientes, inclusive na mediação de conflitos. Se a sua reclamação foi tratada pela central
de atendimento telefônico do emissor do cartão, mas a solução não foi satisfatória, a ouvidoria verificará a possibilidade de reexaminar a questão.

e) Internet: Os emissores oferecem uma série de serviços que podem ser solicitados por você
por meio da internet. Consulte o site do emissor do seu cartão para saber mais.

f) Agência bancária do emissor: Os funcionários das agências do banco emissor do cartão de crédito também podem auxiliar você.

17 – Como posso evitar cair nas armadilhas do cartão de crédito, em termos de pagamento de altos juros? quais são as estratégias mais eficientes neste ponto?

Como dito anteriormente, o problema principal não é o cartão em si, mas sim a forma em se lidar com ele. Conhecer as “regras do jogo” amplia a consciência neste ponto e minimiza as chances de se tornar um refém dele. Autoconhecimento e disciplina emocional contribuem e muito, mas são tópicos para outras postagens, veja o resumo:

a) Planeje suas compras e faça as contas para saber se o valor cabe no seu bolso.
Em caso de compras parceladas, lembre-se de que você terá um valor do orçamento já comprometido ao longo de alguns meses.

b) Pague o valor integral da fatura do cartão de crédito na data do vencimento. Estabeleça um limite real de despesas e siga rigorosamente essa meta.

c) Só use o pagamento mínimo em uma emergência, quando, por exemplo, você gastou a mais e não tem alternativa para financiar a dívida.

d) Escape dos juros para não entrar numa bola de neve. Se precisar, procure alternativas de financiamento com juros mais baixos que os do cartão.

e) Cuidado para não fazer compras de pequenos valores sem se dar conta de que, quando elas são somadas, o gasto se torna expressivo.

f) Não use o cartão como se fosse um complemento da renda ou um segundo salário, em última análise é um dinheiro que não é seu, é um tipo de empréstimo.

18 – Como sair das dívidas atreladas a um cartão de crédito?

Assim que perceber que terá problemas para continuar pagando uma dívida, procure imediatamente o emissor do seu cartão e informe a sua situação. Em geral, os bancos aceitam a contratação de um CDC ou Consignado para o pagamento de uma fatura que extrapole o orçamento de uma família. Um exemplo dado por  Tiago Nigro, é o caso onde você esteja devendo 500 reais no crédito rotativo, conhecido por cheque especial (poderia ser cartão de crédito com taxas ainda maiores). No mês de maio nós tínhamos uma taxa no crédito rotativo de 12,52% ao mês. Isso significa que, em um ano, a nossa dívida de 500 reais pularia para R$2.059,33 e, em 5 a nossa dívida alcançaria R$592.588,77.

Agora, vamos supor outro cenário: imagine que, assim que você passou a dever 500 reais no crédito rotativo você, ao invés de deixar a dívida rolando, pegou um consignado com um banco pela taxa de 2,53% ao mês. A sua dívida de 500 reais, em 1 ano, se tornaria uma dívida de R$674,81, e, em 5 anos, se tornaria uma dívida de R$2.238,86.

19 – Há como pagar boleto utilizando o cartão de crédito?

A resposta é sim, Há 3 formas possíveis de pagar um boleto usando o cartão:

Internet banking;
1 – Acesse sua conta pelo internet banking, Procure pela opção “Pagamento”, Digite o código de barras do boleto, Escolha a opção de pagamento “Cartão de Crédito”, Autorize o pagamento com a sua senha.
2 – Aplicativo dos bancos;
3 – Telefone (central de atendimento)

20 – Sabendo que uma das maiores despesas do cartão de crédito é a anuidade, como obter um cartão de crédito onde não há necessidade de pagamento da anuidade?

Um cartão que vem se tornando bem popular no Brasil onde há isenção da anuidade, desde que haja consumo mínimo de R$100,00 na fatura mensal – o que digamos é um valor pequeno – é o cartão free do Santander. Não ganho nada para divulgar tal cartão ou banco, o digo somente como uma dica financeira de como economizar ou gastar menos com serviços bancários. Há boas alternativas entre os bancos digitais e cartões pré-pagos, estes últimos não cobram anuidade, no entanto, cobram tarifas por saque, enfim, cada qual deve pesar os motivos da escolha do cartão, sua finalidade optar pela melhor opção.

Espero que tenha gostado destas dicas financeiras e tenha um 2020 repleto de ricas experiências!

porFernando Pinheiro

Documentário da Vida de Warren Buffet

Documentário mostra como viveu, pensou, principais desafios, método de análise e estratégia de um dos maiores investidores de todos os tempos, considerado o homem mais endinheirado do mundo!

O documentário a seguir, assisti pela primeira vez há pouco mais de um ano, na minha jornada da educação financeira, uma das poucas biografias de investidores disponíveis disponíveis na Internet com produção de alta qualidade, mostra alguns dos predicados de Warren Buffet, alguns deles vistos como defeitos, dependendo do ponto de vista e formação de quem vê, nos fornece, entretanto, um prisma diferenciado sobre os estudos de investimentos.

Por meio da biografia, nos afastamos um pouco dos livros, das teorias e dos conceitos pragmáticos “daquilo que se deve fazer” para a visualização nua e fria do comportamento de um investidor real, de seu relacionamento com família, com seus mestres, com seus filhos e sua rotina diária. Vou elencar apenas 3 aspectos que me chamou a atenção no filme, embora no documentária haja uma riqueza maior de assuntos:

1 – Foco e disciplina – Warren era uma pessoa – e ainda é –  disciplinada e focada no tocante aos estudos de empresas, fazia leitura diária dos balanços das empresas, seus lucros, despesas, fluxo de caixa e demais dados os quais serviriam de fundamento para investir nesta empresa ou não, quiçá comprá-la toda, senão fosse sócio.

2 – resultados acima da média – o que entendo de resultados acima da média, nada mais é do que o resultado automático dos estudos acima da média, pois, como era dedicado naquilo que faz, se tornou, com o tempo, grande especialista, formado em Administração, sabia antecipadamente quais melhores empresas e negócios a investir, mais do que seus professores do colégio. Somente na Universidade veio a ter contato com pessoas que tinham realmente a agregar em seus conhecimentos de cálculo e análise.

3 – solidariedade e caridade – embora a sociedade em geral, especialmente estimulada por textos antigos e mal interpretados, tenham as pessoas endinheiradas como pessoas de má fama, exploradoras, que só pensam em dinheiro, um lado humano foi abordado no documentário, no qual ele é chefe de família, com filhos e esposa, ou seja, provedor de um lar, com missão nobre a se cumprir, além do mais, há uma promessa dele, em conjunto com Bill Gates, a qual metade de toda a sua fortuna será doada. Certamente se cada pessoa na terra doasse metade daquilo que tem a Terra seria um lugar melhor para se viver, sem tantas desigualdades sociais, uma das principais mazelas de nossos tempos.

Espero que aproveitem o documentários, deixe os comentários ao final se gostaram ou não.